A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 21 de Janeiro de 2018

06/11/2012 14:58

Carro dá defeito e justiça manda fábrica e concessionária substituirem

Nícholas Vasconcelos

Decisão da 3º Vara Cível de Campo Grande condenou a Jac Motors/Campo Grande e a concessionária BRN Distribuidora de Veículos a substituírem o carro de uma consumidora que apresentou defeito e também o pagamento de R$ 5 mil por danos morais. As duas empresas têm de substituir o veículo no prazo de 30 dias, por outro zero quilômetro, sob pena de multa diária de R$ 1 mil por dia de atraso.

Segundo o processo, a autora comprou um veículo modelo J3, ano 2011/2012 e, apesar de ser novo apresentou ruído. A mulher alega que procurou a Jac Motors e a BRN Distribuidora mais de três vezes para resolver o problema, mas todas as tentativas foram em vão. A vítima também afirma que todas as vezes que deixou o veículo no conserto teve de andar de táxi ou de moto com seu marido, e que por não poder transportar a filha de 10 meses, precisou contratar uma babá.

A proprietária afirma a burocracia no atendimento e o descaso da fabricante e da concessionária fizeram seu estado emocional se agravar e que se sentiu constrangida, já que não esperava ter problemas comuns em carros usados ao comprar um veículo novo.

De acordo com o TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), mesmo questionada na Justiça a Jac Motors e a BRN não contestaram a ação.

Para o juiz responsável pelo caso, Odemilson Roberto Castro Fassa, “é evidente que o fabricante e distribuidor de veículo novo têm a obrigação de garantir o bom funcionamento do bem e, na hipótese de manifesto defeito, no caso, ruído no motor, devem responder pelos prejuízos causados ao comprador. Portanto, com base nos documentos juntados aos autos, conclui-se que, embora as requeridas tenham tentado sanar os defeitos do veículo, ainda existem vícios que tornam o automóvel impróprio para utilização”.

Ainda conforme a decisão, as empresas tinham não resolveram o vício do produto em 30 dias e coube à consumidora exigir as sanções previstas no CDC (Código de Defesa do Consumidor).

Sobre o pedido de indenização por danos morais, o juiz concluiu que “os dissabores relatados pela requerente, ultrapassaram a barreira do razoável, ou seja, aquilo que se deve absorver como consequência da vida em sociedade e decorrentes de suas relações, mormente em razão dos transtornos decorrentes dos dias em que ficou impossibilitada de utilizar o veículo e teve que depender de táxi ou carona na moto de seu esposo para se locomover”.

Decisão do STJ ajuda na tramitação da reforma da Previdência, diz líder
O líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) disse hoje (20) que a suspensão, pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), da decisão que impe...
Mega-Sena acumula mais uma vez e pode pagar até R$ 20 milhões na terça
Nenhum apostador acertou os seis números sorteados deste sábado (20) e a Mega-Sena acumulou mais uma vez. No próximo sorteio, que será na terça-feira...


Eu sei o que voce esta passando,pois eu tambem estou nesta situação,comprei um camionete BONGO,da KIA,no ano passado(2011)comprei ai em Campo Grande,e no dia que chegou aqui em Cassilandia, ja apresentou defeito,em um ano de compra,eu devo ter usado ele uns 6 meses,o restante ficou indo e ficando ate 45 dias na oficina da KIA,desta vez acho que eles vão ficar com ele,pois ja faz 60 dias que eu não recebo noticia dele,esta na UTI da Cidade de Rio Verde no Goias,pois nesta ultima vez explodiu o motor e pegou fogo,aconcelho so comprar um BONGO, se voce não precisar dele.
Bem feito para mim,por que não comprei um nacional.
 
Luiz Borges em 06/11/2012 22:19:20
Parabéns aos magistrados pela decisão. Normalmente são as empresas que levam a melhor, mas nesse caso, a justiça prevaleceu, amparando o consumidor desassistido e prejudicado na compra do bem.
 
Adriano Roberto dos Santos em 06/11/2012 20:54:19
Não é por nada não minha gente mas vamos e convenhamos, a China falsifica tudo o que é possível de ser falsificado no mundo. Vocês acham mesmo que dá pra comprar carros que venham de lá. Pode apostar, de graça sai caro.
 
Luis Carlos Espíndola em 06/11/2012 20:22:11
O faustão não vai gostar nada disso!
 
Eduardo Abadia em 06/11/2012 19:10:03
escreveu num leu pau cumeu,,,,(COM ERRO DE GRAFIA).... O CONSUMIDOR ESTA ATENTO AOS SEUS DIREITOS E ESTAS EMPRESAS TEM QUE ZELAR PELOS CLIENTES, principalmente marcas e modelos desconhecidos ou importados, e eles devem saber que no BRASIL TEM QUE TER QUALIDADE PRA ABRAÇAR O MERCADO,,pois lá fora nos também somos cobrados, muito cobrados mesmo.
 
MATEUS COSTA em 06/11/2012 18:55:04
Priscilla, o consumidor que fez protesto, foi da montadora Chery, que também é chinesa...Não podemos ser injustos, mas devemos garantir os nosso direitos de consumidores.
 
Edson Freitas em 06/11/2012 18:34:29
Não é a 1ª vez que acontece isso com essa concessionária, lembro-me muito bem que no ano passado um Consumidor "insatisfeito", ficou em frente a JAC Motors com uma Placa dizendo para não comprar!!!
 
Priscilla Rodrigues em 06/11/2012 17:13:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions