A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

07/12/2010 13:01

Cedidos, 140 servidores da Setas protestam por retorno

Marcio Breda

Servidores foram cedidos a Ceinfs e denunciam desvio de função

Servidores cedidos aos Ceinfs querem retorno à Setas. Foto: João GarrigóServidores cedidos aos Ceinfs querem retorno à Setas. Foto: João Garrigó

Cerca de 140 servidores da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setas) que hoje são cedidos para prefeitura de Campo Grande protocolaram nesta terça-feira (7) documentos em que solicitam ao governo do Estado imediato retorno ao órgão de origem.

Cedidos para os Centros de Educação Infantil em fevereiro de 2007 durante processo de municipalização, os servidores denunciam desvios de função e diferenças na carga horária, já que colegas que atuam na Setas trabalham 6 horas, enquanto que o turno de trabalho nos Ceinfs é de 8 horas, sem compensação financeira.

Segundo a presidente do Sindsad (Sindicato dos Servidores Administrativos), Lilian Fernandes, caso o governo do Estado não atenda ao pedido de retorno protocolado por cada um dos 140 servidores, a categoria entrará com ações na Justiça.

“O governo do Estado não conversa e nem atende os servidores. Já a prefeitura, se quisesse, poderia ajudar a resolver uma parte dos problemas. A situação já se tornou cômoda, já que desde 2005 não é feito um concurso público para a contratação de pessoal nos Ceinfs”, explica Lilian.

Um decreto publicado no último dia 30 de novembro determina que os servidores estaduais cedidos a outros poderes, órgãos e entidades federais deverão se apresentar ao órgão de origem até o dia 17 de dezembro.

De acordo com o texto do decreto, servidores que por interesse próprio não quiserem continuar cedidos poderiam solicitar seu retorno ao órgão de origem.

“Isso cabe a todos, menos aos cedidos aos Ceinfs. Segundo o governo do Estado, eles não poderiam retornar, indo totalmente contra o decreto”, denuncia a presidente do Sindicato dos Servidores Administrativos.

O Campo Grande News entrou em contato com a Setas, mas foi informado que apenas a secretária Tânia Garib, que está em Brasília, poderia falar a respeito das cedências. Ela não vou encontrada por telefone.

Foto: João GarrigóFoto: João Garrigó
Foto: João GarrigóFoto: João Garrigó


OS SERVIDORES QUE JÁ SAIRAM DO CEINF CONTINUAM TRABALHANDO 8 HORAS, NO ATENDIMENTO AO PÚBLICO E SEVIÇOS ADMINISTRATIVOS ENQUANTO SERVIDORES DE OUTROS CONCURSOS,MAIS COM A MESMA FUNÇÃO HOJE NO SETOR FAZEM 6 HORAS POR CAUSA DE UM DECRETO QUE NÃO NOS INCLUI, ASSIM COMO QUEREM FAZER COM ESSE DECRETO DA APRESENTAÇÃO NO DIA 17TRABALHAMOS NA MESMA FUNÇÃO, NO MESMO SETOR E RECEBEMOS MUITO MENOS ALEM DO NOSSO PROVENTO SER SUBSIDIO O QUE ATRABALHA MUITO NOSSO SALARIO.
 
MICHELY FELIPE em 09/12/2010 02:24:47
Era de se esperar tal situação nada mais óbvio e cômodo para ambas as partes (governo do estado e prefeitura), mas provavelmente aqueles funcionários que possuem indicação política devem estar em situação melhor, trabalhando em outros setores do estado.Agora q/passou a campanha eleitoral o povãoé que se dane!
 
Romildo fagundes em 08/12/2010 09:28:04
é uma questão de gerenciamento público, isto aconteceu porque a creches hoje ceinfs, foram municipalizadas e a SETAS precisa encontrar uma saida , não é plausivel desmerecer com difamação a pessoa governador do estado os secretarios de educação estão ai pra isto mesmo , se formos analisar a SAS não deveria estar gerenciando ceinfs ,esta meta de serviço publico é da secretaria de educação municipal.
 
claudecy candido barbosa em 08/12/2010 09:23:39
Aonde estão os trabalhadores dos Ceinfs que fazem 6 horas? No Parque dos Poderes?
Que eu saiba funcionários que estão em setores de atendimento trabalham de 8 a mais horas por dia!!!!
Almoçam aonde? descansam aonde? Cadê o MINISTÉRIO DO TRABALHO?
O GOVERNADOR PODE TUDO?
O SINDICATO FISCALIZA?
 
asandra de souza em 08/12/2010 09:04:28
È lamentável que ainda pensam que nós que estamos na SETAS trabalhamos 6 horas diárias, pois infelizmente trabalhamos 8 horas, que na maioria das vezes se torna 9 à 10 horas pois no nosso horário de almoço não temos aonde ficar e acabamos que trabalhando, lembrando ainda que quem está nos Ceinfs tem almoço e na maioria das vezes trabalham próximo de casa, o que não acontece com quem está em outros setores, pois não temos nenhuma ajuda de custo com relação ao almoço, pois a SAD alega que fornecem 4 vale transportes por dia para ir em casa almoçar, mas nosso tempo de almoço não nos permite ir até em casa devido a distância e pergunto: e quem não pega vale transporte?
 
asandra de souza em 08/12/2010 09:00:23
Era de se esperar tal situação nada mais óbvio e cômodo para ambas as partes(governo do estado e prefeitura),mas provavelmente aqueles funcionários que possuem indicação política devem estar em situação melhor, trabalhando em outros setores do estado.Agora que a reeleição esta garantida o povão é que se dane!
 
Romildo Fagundes em 08/12/2010 08:49:45
Não é verdade que os servidores que estão na SETAS trabalham 6 horas, trabalhamos 8 horas e somos discriminados tanto quanto os do CEINFS, queremos justiça, pois somos mão de obra barata p/ o governo ficamos no período vespertino e continuamos recebendo o mesmo salario.,
 
Catarina Pereira em 08/12/2010 01:26:10
Pouca vergonha desses governantes..... Emprestam os funcionarios para prefeitura ,como se não fisesse mais parte do quadro de funcionarios do estado , são desviados de função sem a devida autorização dos mesmos , muitas da vezes desprezados pela chefia. Para prefeitura é uma comodidade ....ja que o governador não faz questão de usar o serviço , o prefeito vai usando e abusando !!!!!!
Parabéns GOVERNADOR !!!!!!!!! OBRIGADO PELO VALOR AOS FUNCIONARIOS PÚBLICOS DE MS.
 
luciana da silva franco em 07/12/2010 11:31:59
não é verdade que os servidores que estão na setas ou em outros órgão trabalham 6 horas estamos im trabalhando 8 horas não no que o concurso pois o governo não quer aproveitar os servidores concursados pois a maioria dos concursados dos ceinfs tem nível superior e até mesmo pós-graduação poderaim estar sendo ocupados em vez de contratar cargos comissionados não onera a folha de pagamente . não é
 
SANDRA DA SILVA em 07/12/2010 11:30:45
O Governador agora reeleito,vira as costas para os funcionários,não negocia,não conversa! Um verdadeiro mal educado,durante a campanha eleitoral a falsidade imperava,agora após conquistar seu objetivo,mostra a verdadeira cara...demonstrou isso qdo ofendeu o ex-ministro do meio-ambiente Carlos Minc ...isso para não citar outros casos...
 
SERGIO HIDEO MOLICAWA em 07/12/2010 08:56:01
é lamentável o tratamento com os servidores públicos,a população exige atendimento com qualidade,o que é indiscutível,mas esses servidores como outras categorias,são tratados com desprezo,sem motivação,tanto no aspecto salarial como profissional,enquanto isso ocorre,muitos agentes políticos só aguardam assinar no dia1 de janeiro mais um mandato e depois o carnaval vem aí!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 
ricardo gomes em 07/12/2010 06:42:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions