A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Abril de 2018

31/12/2017 15:16

Crimes, tragédias, curiosidades... diversos assuntos deram o que falar

Relembre o que foi mais lido no Campo Grande News no ano que passou

Liniker Ribeiro e Marta Ferreira
Crimes, tragédias, curiosidades... diversos assuntos deram o que falar
Policial rodoviário federal fala ao telefone dentro de viatura da PM depois de atira e matar empresário (Foto: Simão Nogueira)Policial rodoviário federal fala ao telefone dentro de viatura da PM depois de atira e matar empresário (Foto: Simão Nogueira)

Em 2017, o Campo Grande News foi atrás da notícia em diversos pontos da cidade e do Estado. Crimes, tragedias, curiosidades, entretenimento e muito mais. Neste ano tivemos matérias de diversos assuntos que deram o que falar. A seguir, voce confere as mais lidas de cada mes, e relembra o que foi notícia. 

Janeiro - O ano começou com boa notícia para trabalhadores de todo o país. Um anúncio feito pelo Governo Federal informava que seria permitido fazer o saque de recursos de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), em 2017. O tema, claro, interessou a muitos, mas também gerou dúvidas que foram esclarecidas em uma matéria explicativa, que fez do assunto o mais lido do mês.

As investigações da morte do empresário Adriano Correia do Nascimento, de 33 anos, também movimentaram Campo Grande no primeiro mês do ano. Logo no dia 1º, um dia após o crime, nossos repórteres conversaram com o irmão da vítima de assassinato que, comovido, descreveu emocionado Adriano como sendo "uma pessoa espetacular, muito generosa".

Crime aconteceu na madrugada do dia 31 de dezembro de 2016, após Adriano e dois amigos saírem de uma festa na Capital. Tudo indica que uma briga de trânsito tenha motivado a ação do policial rodoviário federal, Ricardo Hyun Su Moon, que matou a tiros o empresário. Tudo aconteceu no cruzamento da Avenida Ernesto Geisel com a Rua 26 de Agosto. A cobertura do caso rendeu diversas matérias e deixou o assunto entre os mais lidos.

Wesner posa para foto (Foto: Reprodução/Facebook)Wesner posa para foto (Foto: Reprodução/Facebook)

Fevereiro - No segundo mês do ano, a morte de um adolescente de 17 anos chocou quem vive em Campo Grande. Wesner Moreira da Silva foi ferido com mangueira de alta pressão de ar em um lava jato, no dia 3 de fevereiro, e morreu no dia 14 do mês mesmo, 11 dias depois de internado, na Santa Casa da Capital.

Os dois suspeitos de terem cometido o crime contra o adolescente, Thiago Giovanni Demarco Sena, de 20 anos, dono do lava jato, e Willian Henrique Larrea, de 30 anos, trabalhavam com a vítima no local. Quem denunciou a dupla foi o primo da vítima, de 28 anos, que, na delegacia, disse que o adolescente “brincava com os colegas de trabalho”, quando um dos homens o agarrou e o dono do estabelecimento inseriu a mangueira de ar comprimido no ânus do garoto.

Três audiências sobre o caso já foram realizadas e agora a família aguarda para saber se os suspeitos vão para júri popular. O caso é tratado como homicídio doloso, quando a intenção de matar.

A prisão de duas donas de uma loja na Avenida Calógeras, região central de Campo Grande, também rendeu no segundo mês do ano. Conhecidas entre os clientes pelo jeito direto – ou até grosseiro – de ser, elas foram presas depois de brigarem com uma cliente, que queria trocar um produto, e ainda xingarem policiais de “bandidos de farda”.

Elas negaram a ação e, uma das sócias, disse até que atendeu a cliente, mesmo estando fora do horário permitido para trocas. Já os policiais que estiveram no local, informaram que foram até mesmo ameaçados por uma delas. O caso foi parar na delegacia.

Março - Uma festa de formatura do curso de administração de empresas, da Uniderp, foi parar na delegacia e também na segunda colocação de matérias mais lidas do mês. A confraternização, realizada no dia 12, em um Buffet da avenida Afonso Pena, teve bate-boca, briga generalizada e ao menos três pessoas ficaram feridas.

Segundo uma das formandas, que pediu para não ter o nome divulgado, tudo começou por causa de um dos colegas de formatura, que embriagado se envolveu em pelo menos três brigas durante a festa. A última foi generalizada e um policial civil, parente dele, teria sacado uma arma e apontado para os convidados.

No mesmo mês, um idoso de 61 anos foi morto a facadas após atirar em um cachorro. O dono do animal é suspeito de ter cometido o crime, registrado na tarde do dia 28 de março, no Jardim Primavera, em Itaquiraí, a 410 quilômetros da Capital. A vítima teria discutido com o proprietário do cão e atirando no animal, segundo informações do boletim de ocorrência. O autor foi preso em flagrante.

Abril – Logo no segundo dia do mês, o caso de uma adolescente, de 14 anos, que desapareceu após sair de casa para conhecer um “amigo” do Facebook, assustou e mobilizou centenas de pessoas que queriam ajudar a encontrar a menina.

A história logo conquistou a primeira colocação entre as matérias mais lidas. Na época, o pai da adolescente relatou que a jovem havia saído de casa na sexta-feira e não retornado mais. Com o alcance da matéria, a menina acabou sendo informada pelas redes sociais que os pais procuravam por ela e entrou em contato dois dias depois.

Ela revelou que estava na casa de amigos, no bairro Jardim Tijuca e aceitou voltou para casa com os pais. A adolescente, que nada sofreu, estava bem e mostrando arrependimento no momento do reencontro.

Agência cheia para o saque das contas inativas do FGTS (Foto: André Bittar/Arquivo)Agência cheia para o saque das contas inativas do FGTS (Foto: André Bittar/Arquivo)

Com o início do pagamento do FGTS, para contas inativas, as filas nos bancos aumentaram e novos crimes foram surgindo. A história da enfermeira Michelle Echeverria, de 35 anos, alertou quem ainda sacaria o benefício.

Depois de passar horas dentro de uma agência da Caixa Econômica Federal, a mulher deixou o local sem o dinheiro. Ela descobriu que a quantia simplesmente havia desaparecido de sua conta. Pelo calendário, ela estava entre os contemplados na primeira etapa do pagamento, que teve início no dia 10 de março, mas até 10 de abril, quando a matéria foi publicada, ela não havia conseguiu sacar o dinheiro.

Maio – Uma imprudência no trânsito tirou a vida de um bebê, de 8 meses, após colisão entre dois veículos no cruzamento das ruas Yokohama e Palestina, região do Santo Amaro, na madrugada do dia 7 de maio. O pai da criança foi preso em flagrante, suspeito de dirigir embriagado e fazer uma conversão na contramão.

O bebê estava no colo da mãe, no momento do acidente. A irmã, de 9 anos, também estava no veículo, mas sofreu apenas ferimentos leves. O condutor do veículo envolvido na batida também estava com sinais de embriaguez e acompanhada de outras quatro pessoas. Testemunha contou à polícia, que Sérgio fugia em alta velocidade porque havia batido em outro veículo e era perseguido pelo condutor, quando se envolveu na colisão com o Palio. No carro dele, foi encontrada uma lata de cerveja vazia.

Um segundo acidente, que acabou na morte do empresário Eduardo Chramosta, de 37 anos, foi o segundo assunto mais visto no quinto mês do ano. Ele morreu por volta das 10h, do dia 21 de maio, após o veículo que conduzia ter capotado na rodovia BR-262, em Terenos, distante 25 quilômetros da Capital. A camionete ficou totalmente destruída por conta do acidente.

Junho - Em um ano de crise, é claro que descontos e preços mais baixos despertariam atenção da população. No sexto mês do ano, a notícia de que no país vizinho, o Paraguai, o dólar estaria a partir de R$ 2,50 por 18 dias, fez do assunto o mais lido.

A promoção "Dólar Congelado", foi criada por comerciantes que se uniram com objetivo de atrais mais clientes e aumentar o número de vendas. A promoção valeu entre os dias 16 de julho a 2 de agosto, mas a informação bombeu já no mês anterior.

Dois dias perdida no meio de um milharal e, mesmo debilitada, ser encontrada viva. Isso aconteceu com a empresária Thaís Regina de Souza Valadares, de 40 anos, na metade do mês de junho desse ano. Ela foi encontrada em uma zona rural, próximo de Sidrolândia, a 71 quilômetros da Capital.

Em depoimento, a empresária relatou que se perdeu quando ia visitar o namorado, no interior, e acabou com o carro atolado em uma estrada vicinal. Ela foi atendida por uma equipe do Corpo de Bombeiros e levada para um hospital local, onde se recuperou.

As causas do acidente ainda estão sendo investigadas, mas segundo o tenente da Polícia Militar, Raphael Almeida, testemunhas relataram que Izabeth limpava a janela de um dos quartos do apartamento quando caiu. Ela morreu no local.

Mayara Amaral posa para foto (Foto: Reprodução/Facebook)Mayara Amaral posa para foto (Foto: Reprodução/Facebook)

Julho – O mês de julho foi um dos mais violentos e cheios de casos policiais surpreendentes. A primeira história que chocou quem vive aqui foi a morte da musicista Mayara Amaral, de 27 anos. Ela desapareceu quando saiu com duas amigas para ensaiar com a banda que participava e teria sumido após brigar com o namorado.

A vítima foi localizada por moradores às margens da rodovia que dá acesso à cachoeira do Inferninho. De acordo com a delegada Priscilla Anuda Quarti Vieira, que atendeu a ocorrência, havia sinais de pancadas na cabeça da mulher. "Ainda não dá pra saber se foi uma pedrada ou uma paulada", disse. O fogo que carbonizou parte do corpo de Mayara teria começado primeiro na mata e depois atingido a vítima, encontrada apenas de calcinha.

O incêndio na vegetação começou por volta das 16h. Uma hora depois fazendeiros que passavam pela estrada avistaram o corpo, que ainda estava em chamas. Eles, então, acionaram o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar). Na época, amigos do baterista suspeito de envolvimento no crime ficaram perplexos.

Também no mês de julho, a história do pequeno Kauan abalou não só amigos e familiares, mas a todos. Com apenas 9 anos, o menino foi estuprado até a morte e seu corpo amarrado e colocado dentro de um saco plástico, posteriormente jogado no rio Anhanduí.

Um homem de 38 anos foi preso suspeito de ser autor do estupro. Segundo investigações, um adolescente de 17 anos, que já teria sido abusado pelo pedófilo, também participou do crime. Ele receberia dinheiro por parte do homem, para levar crianças até o local. Os dois assuntos foram os mais lidos do mês.

Mas as histórias absurdas não pararam por aí. Ainda em julho, o ex-vereador Cristóvão Silveira, 65 anos, e a mulher dele, Fátima Silveira, 56 anos, foram encontrados mortos na chácara onde moravam, no km 24 da MS-80, na saída para Rochedo, em Campo Grande.

O suspeito seria o caseiro, que teria contado com a ajuda do filho e de mais uma pessoa para cometer o crime.

Agosto - No mês de agosto, uma jovem de 19 anos, gravida de um mês, foi assassinada após reagir a um assedio em um bar, no distrito de Pudencio Thomaz, em Rio Brilhante, a 163 quilômetros de Campo Grande.

Segundo o namorado de Tatiane Dias da Silva, a companheira foi morta com pelo menos cinco tiros. O crime aconteceu na varanda da casa da vitima, que fica em frente ao estabelecimento onde o assedio teria acontecido. Ainda de acordo com o namorado, o suspeito teria se aproveitado do momento em que ele havia ido ao balcão compras bebidas, para assediar a moca.

Campo Grande também registrou mais um caso de execução filmada no oitavo mes do ano. Fernando Nascimento dos Santos, de 22 anos, foi encontrado esquartejado na manha do dia 16, e teve sua morte gravada e o video compartilhado na internet.
AS imagens, de um minuto e 43 segundos, o jovem aparece sentado na mesma cadeira em que foi gravado pedindo desculpas ao PCC (Primeiro Comando da Capital). Aparentemente dopado, ele não esboça reação, enquanto um homem, com o rosto coberto por um capuz, se aproxima com uma faca nas mãos.

Ao fundo da gravação alguém diz: "Ao Primeiro Comando da Capital, esse recado aqui vai pra todos os lixo que se encontra aí no nosso Estado, aí aonde for aí, nóis vai mata tudo, entendeu? esse daqui vai um recado, entendeu? Nosso, o Primeiro Comando da Capital, família 1533, entendeu? P***" (sic). A sequência da filmagem traz a execução.

Antes que a gravação seja finalizada, um último anúncio é feito: "CV (Comando Vermelho) plantar em Campo Grande vai morrer, salve aí quadrilha, a todos os meus padrinhos, Primeiro Comando da Capital". A gravação é finalizada.

Setembro - Uma tragédia acabou na morte dos irmãos Gabriel e Guilherme, de dois anos, no terceiro dia do mês. Os gêmeos, filhos do casal Josi Souza e Kleiton de Moraes, afogaram-se, na piscina da casa da família, em Três Lagoas, município a 338 quilômetros da Capital. Eles foram levados ainda com vida para o hospital, mas sofreram parada respiratória e faleceram.

No Dia Mundial do Combate ao suicídio, três casos abalaram os sul-mato-grossenses. Um adolescente de 16 anos, uma jovem de 18, e a ex-primeira dama do município de Deodapolis, Cirene Passarini Martins, foram encontrados mortos e a suspeita e de que ambos tenham tirado a própria vida. A matéria de alerta para o suicídio foi uma das mais lidas do mês.

Outubro - A chegada de um novo aplicativo de mobilidade na cidade, animou quem vive em Campo Grande. A concorrente da empresa Uber, 99 Pop, abriu cadastro para novos motoristas no mês de outubro, com expectativa de que 4 mil pessoas aderissem ao novo sistema. A novidade aguçou a curiosidade de muita gente e fez a matéria que explicava como o aplicativo funciona ficar como o assunto mais lido do mês.

Na noite do dia 4, um jovem de 19 anos morreu rua Yokohama, na Vila Almeida, ao ter a cabeça esmagada pela roda de um ônibus, em frente à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro. O rapaz, que estava no veículo como passageiro, desceu no ponto e entrou embaixo do ônibus sem que ninguém percebesse.

Equipes do Corpo de Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) chegaram a ser acionadas para tentar socorrer a vítima, Wender Silva de Oliveira. Porém, ele morreu logo após o atropelamento.

Novembro - Manhã do dia 3. Uma jovem de 18 anos entra em contato com o Corpo de Bombeiros, pede socorro, mas no momento em que a equipe chega ao local, ela cai de uma altura de 28 metros. O caso aconteceu na cachoeira do inferninho, região norte de Campo Grande.

Se identificando como Aline, ela passou todas as características da possível vítima para os bombeiros, explicou que estava em um Onix branco e que iria esperar os militares ali, para mostrar o local exato em que viu a mulher. No exato momento em que os bombeiros chegaram, a jovem se jogou da cachoeira. Ao Campo Grande News, os militares explicaram que todos as características repassadas por Aline descreviam ela própria. Caso esta sendo investigado como suicídio.

Também no início de novembro, nossas equipes conversaram com o pai da advogada Carolina Albuquerque Machado, que morreu em acidente envolvendo o carro que conduzia e uma caminhonete, na Avenida Afonso Pena, próximo ao Shopping Campo Grande, na madrugada do dia 2.

Em entrevista, Lázaro Barbosa Machado, 63 anos, desabafou sobre a atitude do condutor da camionete que atingiu o veiculo de Carolina, em alta velocidade."O motorista não teve capacidade de prestar socorro a uma criança”, desabafou. A reportagem foi a segunda mais lida do mês de novembro.

Sucuri engole tatu-galinha (Foto: Reprodução)Sucuri engole tatu-galinha (Foto: Reprodução)

Dezembro - O mundo animal também teve espaço no Campo Grande News. Em dezembro, um video gravado por um cineasta fez o maior sucesso. As imagens captaram o momento em que uma sucuri, de aproximadamente dois metros, engolia um tatu-galinha, no Pantanal. A ação do animal chamou atenção de quem passava pelo local, próximo à pousada Refúgio da Ilha, distante cerca de 30 quilômetros de Miranda, município a 207 quilômetros da Capital. A filmagem conquistou o posto de matéria mais lida do mês.

A morte de uma mulher, de 48 anos, após cair do decimo terceiro andar de um prédio, no centro de Campo Grande, também movimentou a capital no inicio do mês.

A empregada doméstica Izabeth Cândido da Hora Ajala, 48 anos, morreu após cair do 13º andar do condomínio Solar Van Gogh, que fica na Rua Antônio Maria Coelho com a Bahia, no Centro de Campo Grande. O caso aconteceu por volta das 10h desta sexta-feira (8). Caso aconteceu no condomínio Solar Van Gogh, que fica na Rua Antônio Maria Coelho com a Bahia.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions