A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

01/08/2016 08:37

De sábado até início desta manhã, bombeiros combateram 17 incêndios

Fernanda Mathias
Dos 17 incêndios combatidos na Capital de sábado para cá, sete foram em imóveis como este no Jardim das Perdizes  e 11 em vegetações (Foto/Alcides Neto)Dos 17 incêndios combatidos na Capital de sábado para cá, sete foram em imóveis como este no Jardim das Perdizes e 11 em vegetações (Foto/Alcides Neto)

De sábado até o início da manhã desta segunda-feira (01), o Corpo de Bombeiros combateu 17 incêndios entre edifícios e vegetações afetadas pelo fogo na Capital. O número é crescente conforme os dias sem chuva avançam – a última precipitação ocorreu dia 16 de julho.

Para hoje a previsão do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) é que a umidade relativa do ar fique ainda menor que os 31% registrados ontem e possa atingir mínima de 25%. Em cidades da região Norte, níveis críticos foram atingidos nos últimos dias, 15% em Coxim e Sonora.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, dos 17 incêndios combatidos desde sábado na Capital, sete foram em edificações e 11 em vegetações. Ontem uma casa foi completamente destruída no Jardim das Perdizes e hoje uma mulher de 55 anos acabou morrendo após entrar em pânico com incêndio em um terreno próximo à casa dela, no bairro Rita Vieira.

Os incêndios florestais também estão mais freqüentes porque em cidades do interior a estiagem é ainda mais prolongada, em Corumbá, por exemplo, não chove há 27 dias, de acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Ainda de acordo com o Inpe, de junho para julho o número de focos detectados por satélites disparou. Foram 640 no mês passado contra 120 no mês de julho.

No Rita Vieira, incêndio próximo de materiais de reciclagem e casas gerou pânico em moradora de 55 anos que teve mau súbito e acabou morrendo na manhã de hoje (Foto: Marcos Ermínio)No Rita Vieira, incêndio próximo de materiais de reciclagem e casas gerou pânico em moradora de 55 anos que teve mau súbito e acabou morrendo na manhã de hoje (Foto: Marcos Ermínio)

Cuidados – Especialista em combate a incêndio urbano do Corpo de Bombeiros, o capitão Fábio Pereira, ressaltou que somente neste domingo, além do incêndio em residência foram outros quatro chamados por fogo em vegetação, uma situação favorecida pela baixa umidade relativa do ar.

De acordo com ele, em média, são 40 chamados por mês por incêndios ou princípio de incêndio em residências e dá algumas orientações. É importante ter cuidados com as instalações elétricas e não deixar aparelhos ligados à tomada. Velas acesas e panelas esquecidas no fogão também figuram entre as principais causas.

Neste período de férias escolares, os cuidados devem ser redobrados, especialmente para que crianças não tenham acesso a materiais inflamáveis, como álcool e também a fósforos e isqueiros.

Em tarde de umidade baixa, incêndios consomem casa de madeira e pasto
Dois incêndios na região Sul de Campo Grande mobilizam viaturas de combate do Corpo de Bombeiros. Em um deles, parte de uma área de pastagem, uma áre...
Incêndio atinge aterro que fica perto de barracos no Jardim Noroeste
Mais uma vez o aterro localizado no Jardim Noroeste - região leste de Campo Grande - é alvo de um incêndio. Por causa do tempo seco, típico desta épo...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions