A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

22/02/2016 16:24

Deputado de MS tenta facilitar a vida de quem tem arma de fogo

Ricardo Campos Jr.

O deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) propôs uma alteração no Estatuto do Desarmamento para derrubar a necessidade de renovar o registro das armas. O parlamentar acredita que esse procedimento é meramente burocrático, mesmo exigindo documentos e certidões que provem a idoneidade e a aptidão para usar revólveres, pistolas, etc.

De acordo com informações do site da Polícia Federal, a cada três anos é preciso apresentar antecedentes criminais a nível estadual e federal e até da Justiça Eleitoral; provar que não está respondendo a nenhum inquérito policial e entregar atestado de capacidade técnica e psicológica para manuseio de armas.

Conforme o deputado, há muitos casos em que cidadãos foram presos pela posse ilegal de arma de fogo porque a polícia encontrou nas residências deles armas compradas legalmente e registradas, mas que, devido ao trâmite moroso e ineficiente do sistema de renovação, estavam com registro vencido.

Ele entende que o registro diz respeito apenas à propriedade da arma. Desse modo, à semelhança do registro que se faz de um imóvel em cartórios, para indicar quem é o seu dono, e quem tem validade permanente, do mesmo modo não há razão jurídica e lógica para se renovar um documento que já indica a propriedade da arma.

Para Cerilo Casanta Calegaro Neto, conselheiro da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso do Sul, a medida não deve prosperar. “

“O registro é burocrático até por uma questão de segurança, para que se possa conceder essa permissão a essa pessoa que estejam realmente capacitadas e habilitadas a portar uma arma de fogo”, pontua.

Na opinião dele, o projeto retira o poder de fiscalização dos órgãos públicos. “Vivemos em um estado extremamente legalista e o estado pode reger esses dispositivos. Caso isso não ocorra, eu vejo que o poder público, através dos órgãos de segurança, pode perder o controle das armas legalizadas”, diz Cerilo.

Ele está acompanhando a tramitação do projeto e diz que o documento será analisado por uma comissão especial da Câmara dos Deputados para depois ser apresentado em plenário.

Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...
ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...


Creio estar totalmente cheio de razão o deputado federal Marun, q negócio e esse de estar a renovar esse registro de tres em tres anos então teria que ser feito com casa, terreno, fazenda, carro, e sei lá mais o que alguem tem de lutar pelo direito de defesa particular do cidadão, visto estar todos como cordeiros na mão daqueles q não precisam de nenhuma legalidade para transportar esses instrumentos, vamos extinlguir essa lei de desarmamento, q não protege ninguém, apoio o nosso Deputado em seu projeto.
 
Eduvalmo Goncalves em 22/02/2016 18:49:37
O deputado Marun me parece que não tem nada útil pra fazer na câmara.
Ou está organizando festa para o deputado Cunha ou usa seu tempo pra apresentar uma inutilidade dessas.
Lamentável!!!!!
 
Critico em 22/02/2016 17:02:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions