A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

28/01/2011 18:23

Desembargador Josué de Oliveira assume presidência do TRE/MS

Jorge Almoas
Josué de Oliveira sucedeu Luiz Carlos Santini no TRE/MS  (Foto: João Garrigó)Josué de Oliveira sucedeu Luiz Carlos Santini no TRE/MS (Foto: João Garrigó)

Em solenidade na tarde desta sexta-feira, o desembargador Josué de Oliveira foi empossado como presidente do TRE/MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul). O desembargador ficará no cargo pelo biênio 2011/2012.

Josué sucede Luiz Carlos Santini na presidência do Tribunal. Em seu discurso, ele reforçou que o cargo é público.

“Não vou trabalhar sozinho. Todo o colegiado eleitoral vai atuar para garantir a idoneidade dos processos eleitorais”, disse Josué.

Sobre a troca de comando do TRE em meio à eleição extemporânea em Dourados, que acontece no próximo dia 6 de fevereiro, Josué se mostrou tranquilo.

“Os juízes eleitorais de Dourados são capazes de conduzir todo o processo. O TRE vai apenas servir de apoio ao pleito, uma vez que a eleição foi estruturada com base em regras e esclarecimentos”, afirmou o novo presidente do TRE.

Na vice-presidência do TRE, assume o desembargador Joenildo de Sousa Chaves. Ele vai acumular a função de corregedor eleitoral. O governador André Puccinelli participou da solenidade de posse do presidente e vice do tribunal.

Natural de Pereira Barreto (SP), o Desembargador Josué de Oliveira foi Corregedor-Geral de Justiça.

Já o Desembargador Joenildo de Sousa Chaves, nascido em Ourives (BA), foi vice-presidente do Tribunal de Justiça, juiz das zonas eleitorais de Amambai, Corumbá e Campo Grande, membro substituto do TRE e vice-presidente da Amamsul (Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul).

Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions