A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

06/12/2011 21:45

Em 4 anos, Escola de Governo pula de 300 para 4 mil vagas e customiza cursos

Paula Maciulevicius

Para 2012, além da expectativa de dobrar o número de servidores capacitados, a Escola pretende reforçar cursos da área gerencial

“A dinâmica do serviço público não é diferente da sociedade”, ressalta diretor da Escola de Governo, Édio de Souza Viegas.“A dinâmica do serviço público não é diferente da sociedade”, ressalta diretor da Escola de Governo, Édio de Souza Viegas.

A qualificação profissional já não é requisito apenas para o âmbito privado. Quem está no setor público, precisa acompanhar o ritmo do mercado de trabalho e se capacitar. Em Mato Grosso do Sul, há 10 anos a Escola de Governo trabalha na qualificação de servidores públicos estaduais. Nos últimos quatro anos, o número de vagas saltou de 300 para quatro mil, resultado do acréscimo de cursos e investimento em novas turmas.

Para o diretor-presidente da Fundação Escola de Governo de Mato Grosso do Sul, Édio de Souza Viegas, este é o reflexo da nova realidade. “A dinâmica do serviço público não é diferente da sociedade, a qualidade tem que ser a mesma do privado. A ideia é que todos passem pela Escola, para padronizar a qualidade de atendimento ao público”, enfatiza.

A Escola encerra o ano com 135 turmas em 32 cursos nas áreas de desenvolvimento de competências gerais, administrativas e operacionais e ainda gerenciais. A expectativa é de que em 2012, os servidores capacitados dobrem, chegando a oito mil.

A oportunidade de qualificação é dada aos servidores de forma gratuita e descentralizada. As aulas não se restringem apenas à Capital. No interior do Estado, 37 municípios recebem o curso em pólos nas regiões do Bolsão, Pantanal, Norte, Sul e Sudoeste. Além de servidores, também são capacitados gestores de órgãos ligados ao governo, como Conselhos e ONGs. O critério adotado na Escola é de encaminhar o profissional para um curso que venha a contribuir com a área de trabalho desempenhada.

Programa de qualidade no atendimento ao público foi ao Hospital Regional “humanizar” atendimento.
(Foto: Patrícia Marques/Escola de Governo)Programa de qualidade no atendimento ao público foi ao Hospital Regional “humanizar” atendimento. (Foto: Patrícia Marques/Escola de Governo)

O diretor explica que em todos os órgãos do Estado existem gestores de capacitação junto à Escola que divulgam e selecionam candidatos para o curso. O programa tem o método baseado na gestão por competência. “Estamos customizando os cursos conforme a necessidade de cada órgão”, ressalta.

Dentro da grade, um dos “carro-chefe” dos cursos é o programa de qualidade no atendimento ao público, já realizado na Sanesul e recentemente no Hospital Regional. “Nós vamos ao órgão, estudamos as condições de atendimento, ali era preciso a humanização do atendimento. Aí elabora-se um programa específico de acordo com a realidade do local”, descreve Édio Viegas.

A capacitação não termina depois das horas aula de curso. Em seguida a Escola acompanha a avaliação de resultados, do que foi e do que ainda precisa ser feito “o que torna a atividade permanente”, acrescenta o diretor.

Para 2012, expectativa é de dobrar servidores qualificados. (Foto: Paula Maciulevicius)Para 2012, expectativa é de dobrar servidores qualificados. (Foto: Paula Maciulevicius)

Para 2012, além da expectativa de dobrar o número de servidores capacitados, a Escola de Governo pretende reforçar cursos da área gerencial. “Precisa qualificar mais gestores. Não adianta o servidor se capacitar se ele não tiver um gestor qualificado. É a metodologia empregada, de fazer do servidor um colaborador”, comenta Édio Viegas.

A inclusão digital também é missão da Escola para o próximo ano. “Todo servidor vai ter conhecimento básico em informática. Isso é algo fundamental”, coloca o diretor.

Além de oferecer cursos aos servidores estaduais, através de parcerias, a Escola abre capacitação também para funcionários públicos municipais e federais. Neste ano, o governo disponibilizou aulas à distância e pretende ampliar os cursos não presenciais.

Premiação - E para valorizar as ideias teóricas e práticas, a Escola premia pela sétima vez projetos de acadêmicos e servidores públicos estaduais e municipais. O VII Prêmio Sul-mato-grossense de Gestão Pública já tem os ganhadores deste ano nas categorias acadêmica, práticas inovadoras – gestão estadual e municipal. O valor dos prêmios chega a R$ 32 mil.

“O prêmio é para valorizar práticas inovadoras que contribuam para a melhoria da gestão pública”, avalia Édio Viegas.

A entrega do prêmio será no dia 15 de dezembro, no auditório da governadoria, às 9 horas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions