A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

06/02/2016 11:04

Em feira no PR, Reinaldo destaca pequeno produtor e melhorias em logística

Waldemar Gonçalves
Reinaldo Azambuja durante a Show Rural, em Cascavel (Foto: Digulgação / Governo do Estado)Reinaldo Azambuja durante a Show Rural, em Cascavel (Foto: Digulgação / Governo do Estado)

Melhorar a infraestrutura logística para a competitividade do setor agropecuário onde, em Mato Grosso do Sul, os pequenos produtores vêm ganhando cada vez mais força. Estes foram alguns pontos abordados pelo governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), durante a 28ª edição do Show Rural, feira de agronegócios em Cascavel (PR), onde ele esteve nesta semana.

Reinaldo também falou sobre a importância da Agraer (Agência Estadual de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) neste contexto. “O trabalho e a competitividade no campo se faz principalmente com assistência técnica. Hoje, nós temos quase 80 mil pequenos produtores no Estado. A política da Agraer é fortalecer e dar apoio aos nossos produtores”, destacou, conforme texto publicado neste sábado (6) pelo governo do Estado.

Segundo o governador, o trabalho da agência visa proporcionar o acesso dos produtores à pesquisa, tecnologia e soluções sustentáveis. Além disso, estimula a organização do pequeno produtor em cooperativas e associações para fortalecer as ações deles no mercado.

“O terceiro e último ponto é que temos que, principalmente, ver que Mato Grosso do Sul já está em um processo de diminuição dos tamanhos das propriedades. É um estado que tinha, praticamente, toda base em médias e grandes propriedades e, agora, começa a ter uma diversificação com as pequenas propriedades”, pontua.

Para que o cenário funcione, efetivamente, há ainda a necessidade de escoar de forma eficaz a produção, conforme lembrou o governador. “O grande problema do país é a logística. O setor produtivo paga um preço alto, hoje, por não ter essa competitividade devido aos anos de descaso nos meios de transporte. O Brasil não investiu em ferrovias, não se preocupou com a hidrovia, e, centralizou, principalmente, nas rodovias. E, hoje, elas estão precárias e muitas delas já não aguentam mais suportar os transportes das cargas”, disse.

Por fim, destacou as ações do governo estadual neste sentido. “Nós, do Estado, especificamente, estamos com um grande programa de restauração das rodovias existentes, um programa para recuperar, sinalizar, melhorar as condições e construções de novos trechos para melhorar a competitividade. A duplicação da BR-163 ajuda, a recuperação da malha oeste, concedida à Rumo Logística e a ALL, também pode contribui e isso a gente vem trabalhando para que, futuramente, se possa melhorar esses eixos logísticos, recuperando aí essa capacidade produtiva que o Estado tem de levar o produto para os portos de exportação”, concluiu.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions