A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Janeiro de 2018

25/05/2009 12:02

Empresário mandou assaltar prefeito porque tinha dívidas

Redação

Após quase 20 dias de sigilo sobre as investigações do assalto à casa do prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), o Garras diz ter esclarecido o crime.

Segundo a Polícia Civil, o assalto à residência e também ao filho do prefeito, no dia 30 de abril, foi encomendado pelo empresário Moacir Santos Zanúncio, 49 anos, conforme já havia sido noticiado pelo Campo Grande News .

O empresário disse que resolveu cometer o crime porque estava com muitas dívidas tributárias e sem dinheiro.

Moacir entrou em contato com Silvio César Gonçalves Dutra, 35 anos, conhecido como Negão. Silvio, então contratou os três executores: Marcos Roberto Marques, o Marcão, 38 anos; Paulo Henrique da Silva, 23 anos, e um outro homem conhecido como Barriga.

O Garras chegou até o os cinco após a prisão de um adolescente de 16 anos, ocorrida três dias após o crime. O adolescente confessou que participou do assalto ao filho do prefeito.

O garoto disse que junto com Deivison Silva Trajano, o Dede, 18 anos, roubou R$ 100 e o Iphone do filho de Nelsinho. Deivison também foi preso dia 8.

No dia seguinte, a PM (Polícia Militar) prendeu Anderson Ferreira dos Santos, o Pepe, 24 anos. Segundo o Garras, ele apenas foi o receptor do Iphone roubado.

O aparelho foi recuperado em Presidente Prudente, interior de São Paulo. O Iphone havia sido comprado por uma pessoa que não sabia do crime e foi liberada após ser ouvida.

Após a prisão de Anderson, o Garras descobriu que Silvio havia feito as contratações a mando de uma pessoa conhecida como "Cora /Empresário".

Na sexta-feira (22), o Garras prendeu Moacir, que confessou o crime. Segundo o Garras, Moacir, que é dono de uma livraria que funciona dentro do colégio Mace, e disse que decidiu pelo roubo porque estava com muitas dívidas tributárias e sem dinheiro.

O empresário planejou o crime, fez o levantamento da rotina da residência, levou os executores até o local no veículo dele, um Gol, e deu fuga.

Silvio, Marcos Roberto, Paulo Henrique e Barriga estão foragidos. Marcos é foragido da Colônia Penal Agrícola. Os quatro e ainda os outros envolvidos no assalto ao filho do prefeito, têm antecedentes criminais, entre eles, por roubo. Já Moacir, não tem antecedente criminal. Todos moravam em bairros da região Norte da Capital.

O Garras suspeita que os autores ainda não presos estejam escondidos em Corumbá, região da grande Dourados e Cuiabá, Mato Grosso.

Quem tiver informação sobre o paradeiro de algum dos autores pode entrar em contato com o Garras através do telefone 3326-8800.

UEMS abre período de rematrículas; prazo vai até o dia 3 de fevereiro
Já foi aberto pela UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) o período para rematrículas dos acadêmicos da para o ano letivo de 2018. O praz...
Encomendas enviadas pelos Correios poderão ser rastreadas pelo CPF
A partir de quinta-feira (25) usuários de serviços postais dos Correios poderão acompanhar suas encomendas informando apenas os números do CPF ou do ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions