A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

08/12/2010 17:10

Exame de Ordem terá que ser corrigido de novo

Paulo Fernandes

Prova da OAB foi cercada de erros e reclamações

Por determinação do presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ophir Cavalcante, a FVG (Fundação Getúlio Vargas) terá que corrigir novamente a prova da segunda fase do Exame da Ordem.

Foram encontrados erros nos resultados divulgados. A FGV diz que o erro ocorreu apenas na divulgação e não na correção.

Ela foi a responsável pela realização, aplicação e correção das provas do exame de Ordem.

Em Mato Grosso do Sul, 816 se inscreveram para fazer a prova: 572 em Campo Grande, 175 em Dourados e 69 em Três Lagoas.

"Determinei a recorreção para garantir que não haja qualquer prejuízo a nenhum dos candidatos e em face de nosso compromisso com a lisura e segurança do Exame, em respeito aos estudantes de Direito e à sociedade", afirmou o presidente nacional da entidade.

O presidente da Seccional de Mato Grosso do Sul, Leonardo Avelino Duarte, concorda com a decisão de fazer uma recorreção das provas. “A OAB/MS foi uma das seccionais que defendeu a mudança de Instituição responsável pela aplicação do Exame. No entanto, é preciso que essas provas sejam bem elaboradas e muito bem corrigidas, para que não deixem nenhuma dúvida quanto à sua credibilidade”, afirma.

A divulgação do resultado do exame foi muito criticada pelos que fizeram o exame. A primeira dificuldade foi para conferir o resultado. Muitos candidatos não conseguiram acessar o site criado pela FGV, para a divulgação dos resultados: .

Por conta disso, o prazo para recursos foi prorrogado para até o dia 10 de dezembro.



O exame de ordem não é um bicho de sete cabeças. Não é um concurso em que há concorrência, é o bacharel contra ele mesmo, e apenas são exigidos conhecimentos mínimos que foram (ou pelos menos deveriam ter sido) aprendidos nos 5 anos de faculdade. Considerando que não há hierarquia entre o promotor, o juiz e o advogado, e nos concursos para os dois primeiros cargos há concorrência, e o candidato necessita superar várias fases para obter a aprovação final, e o mais impressionante, nestes concursos quase sempre sobram vagas a serem preenchidas, justamente porque não houve candidatos suficientemente qualificados. Então, qual a razão para a OAB promover um exame fácil com possibilidades de qualquer candidato despreparado passar? Se houveram erros nas correções das provas, que se providencie o mais rápido possível a solução. Mas se infelizmente as provas apresentam respostas insatisfatórias, não há o que se fazer a não ser estudar para o próximo exame.
 
Cleber Paulino de Castro em 09/12/2010 11:27:51
O Brasil continua uma vergonha. O Ministro da Educação ja mostrou sua incopetência por dois anos , não consegue realizar uma provinha chamado Enem. Que qualquer administrador de Empresa realiza. Pelo menos eu. E ainda é agraciado continuar no cargo. Agora vem a OAB, que não sabem corrigir uma prova. de 5 questões e uma tese.
É prejuiso para muita gente. E muita humalhação. Esse é o Brasil que eu sempre conheci, não o Brasil da mídia.
 
Ricardo Thibes Cardoso em 09/12/2010 11:04:15
A correção se faz necessário, é mais uma prova de lisura e respeito aos Bacharéis.
Outra coisa que a OAB precisa urgentemente fazer é moralisar esses consursos que viraram uma fábrica de arrecadação, principalmente agora com o monstrengo chamado de " cadastro de reservas". Isto nada mais é do que uma maneira de se enganar ainda mais os incautos estudantes que buscam honestamente um lugar ao sol, e concomitantemente arrecadar-se mais e mais, principalmente no final de ano.
A OAB sabe disso e cala-se, chega a ser vergonhoso.
Acorda OAB...

Braga
OAB/MS 13.649-B
 
José Braga em 09/12/2010 09:57:05
A própria FGV já deixou muito claro em seu comunicado no site que não vai proceder a correção das Provas do Exame e sim dos espelhos de provas que para eles foi aquilo que realmente causou todo prejuízo. Como pode a FGV passar por cima do presidente do Conselho Federal da OAB? Renomados professores do Brasil inteiro estão dando esclarecimentos sobre a vergonha que foi esta 2 fase do Exame de Ordem, será que somente a FGV tem a razão? O Dr. Ophir Cavalcante fala uma coisa e a FGV faz completamente o contrário.. Tenho certeza que de que o Dr. Leonardo Avelino juntamente com o Dr. Alexandre Bastos vão defender aquilo que realmente é de DIREITO, ou seja, a correção da prova de acordo com o provimento 136/2009 do Conselho Federal.
 
Hudson Scherer da Costa em 09/12/2010 09:37:06
Isso é para a OAB ver bem antes de ficar falando de outros concursos, quem tem telhado de vidro, não taque pedras nos telhados dos outros. Mas parabéns pela atitude, de mandar corrigur novamente e fazer justiça.
 
Kamél El Kadri em 08/12/2010 11:13:33
OAB, tem por objetivo limitar os números de novos bacharéis, no mercado de trabalho, como ficou evidenciado neste último exame, pois foram aprovados quase 40% na primeira fase. Entretanto, estes números foram considerados pelos organizadores “uma aprovação expressiva”, tanto é verdade que a FVG, teria que ter canceladas no mínimo 5 (cinco) questões polêmicas, na prova objetiva. Todavia, só foi cancelada apenas 1 (uma). Portanto, esta é realidade hoje do Exame da Ordem, pouca credibilidade, pouca transparência etc... Na verdade a Ordem quer poucos sejam aprovados, que significa menos advogados no mercado de trabalho, mais ações para estes, mais honorários, mais cursinhos, é toda uma industria funcionado por trás desta instituição chamada: OAB/BRASIL
 
ELÉZIO CORREIA DE MELLO em 08/12/2010 07:16:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions