A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Janeiro de 2019

29/11/2018 11:55

Expectativa de vida em MS cresce três meses e está em 10º lugar no País

Outro dado expressivo é o de que mulheres sul-mato-grossenses vivem sete anos e um mês a mais que os homens

Danielle Valentim
Atividades do Dia do Idoso em Campo Grande.(Foto: Henrique Kawaminami)Atividades do Dia do Idoso em Campo Grande.(Foto: Henrique Kawaminami)

Os nascidos em Mato Grosso do Sul em 2017 têm expectativa de viver, em média, até os 75 anos e 8 meses. Isso representa um aumento de três meses a mais do que para uma pessoa nascida em 2016, quando o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou a média de 75 anos e 5 meses.

Ainda conforme os dados, no ano passado um recém-nascido em MS tinha 13,6% de não completar o primeiro ano de vida, maior do que a média nacional, que é de 12,8%.

Outro dado expressivo é de que, no Estado, a mulher tem probabilidade de viver sete anos e um mês, a mais que o homem. Em números relativos, a diferença a favor delas é de 9,72%.

A expectativa de vida dos homens aumentou de 72,1 anos em 2016 para 72,4 anos em 2017, enquanto a das mulheres foi de 79,2 para 79,5 anos.

Dados nacionais - Uma pessoa nascida no Brasil em 2017 tinha expectativa de viver, em média, até os 76 anos. Isso representa um aumento de três meses e 11 dias a mais do que para uma pessoa nascida em 2016. A expectativa de vida dos homens aumentou de 72,2 anos em 2016 para 72,5 anos em 2017, enquanto a das mulheres foi de 79,4 para 79,6 anos.

A probabilidade de um recém-nascido do sexo masculino em 2017 não completar o primeiro ano de vida era de 13,8 a cada mil nascimentos.

Entre as Unidades da Federação, a maior expectativa de vida foi encontrada em Santa Catarina, 79,4 anos, e a menor no Maranhão, 70,9 anos.

Expectativa de vida aumentou 30,5 anos - Em 1940, a expectativa de vida era de 45,5 anos, sendo 42,9 para homens e 48,3 anos para mulheres.

Entre 1940 e 1960, o Brasil praticamente reduziu pela metade a taxa bruta de mortalidade (o número de óbitos de um ano dividido pela população total em julho daquele mesmo ano), caindo de 20,9 óbitos para cada mil habitantes para 9,8 por mil.

A expectativa de vida ao nascer em 1960 era de 52,5 anos. Ao todo, a expectativa de vida aumentou 30,5 anos entre 1940 e 2017, chegando a 76,0 anos.

Em 1940, um indivíduo ao completar 50 anos tinha uma expectativa de vida de 19,1 anos, vivendo em média 69,1 anos.

Com o declínio da mortalidade neste período, um mesmo indivíduo de 50 anos, em 2017, teria uma expectativa de vida de 30,5 anos, esperando viver em média até 80,5 anos, ou seja, 11,4 anos a mais do que um indivíduo da mesma idade em 1940.

(Arte: Ricardo Gael)(Arte: Ricardo Gael)
Mega-Sena acumula e pode pagar até R$ 38 milhões na quarta
Ninguém acertou as seis dezenas da sorte na noite deste sábado (19) e o prêmio da Mega-Sena acumulou em R$ 38 milhões. O próximo sorteio está previst...
OMS lista as 10 principais ameaças para a saúde em 2019
Surtos de doenças preveníveis por vacinação, altas taxas de obesidade infantil e sedentarismo, além de impactos à saúde causados pela poluição, pelas...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions