A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

22/07/2013 09:29

Famílias dormem juntas e usam fogueira para superar frio intenso

Viviane Oliveira e Aliny Mary Dias
Karina agasalhou bem a filha, Camila, de um ano e dois meses  (Foto: Marcos Ermínio). Karina agasalhou bem a filha, Camila, de um ano e dois meses (Foto: Marcos Ermínio).

Para suportar as noites frias, que começaram neste domingo com a chegada de uma grande massa de ar polar e podem se estender por 12 dias, os moradores mais carentes apelam à criatividade. Na Cidade de Deus, região Sul de Campo Grande, localizada próximo ao lixão, famílias apostaram em fogueiras para superar o frio com sensação térmica de até 1º C e se aquecerem neste inverno.

Segundo o meteorologista Natálio Abraão Filho, da Uniderp Anhanguera, é o frio mais intenso desde 2011. Há dois anos, houve geada em Campo Grande. 

Para tentar driblar o frio, Sueli Maria de Roa, 54 anos, que tem quatro filhos, entre 12 e 17 anos, dormiram juntos nesta noite, pois os cobertores não são suficientes para todo mundo. Antes de irem deitar, a fogueira foi o que amenizou o ventinho gelado nas frestas das casas de tábua.

Quem não abre mão da fogueira é a mãe de Sueli, Estelita de Roa, 78 anos. “A fogueira só não fica acesa à noite inteira porque temos medo de incendiar a casa, mas ajuda muito a amenizar o frio”, afirma.

Para quem ganha o ganha pão na usina de reciclagem na região também sofre neste inverno com a falta de estrutura e condições de trabalho. “É complicado, lá é tudo aberto e quando está garoando a gente acaba se molhando”, reclama Ângela Lemos Rocha, de 43 anos.

Outra arma contra o frio é o chimarrão, usado pela família da Valdivina Pereira, 45 anos. Ela mora com a filha, Karina Barbosa, a neta Camila, de um ano e dois meses, e o genro Edvaldo Barbosa, de 41 anos, que no momento está desempregado.

“Aqui é uma região muita fria e a gente conta com as doações”, diz Edvaldo, acrescentando que nesta época doação de roupas de inverno e sopão ajuda os moradores a não sofrer tanto com a queda de temperatura.

Na manhã de hoje a região estava deserta, a maioria dos moradores não se arriscava a colocar o pé para fora da casa. Também não é por menos, a segunda-feira amanheceu com vento forte e temperatura em 8ºC, porém com sensação térmica de 1ºC. Na Capital, a temperatura baixa continua nesta tarde e o sol deve aparecer entre nuvens.

Fazia tempo que o campo-grandense não enfrentava um frio tão intenso, como por exemplo, na quarta-feira que a temperatura pode chegar em 3ºC.

Estelita e a família recorreram ao fogo para suprir a deficiência de falta de cobertores (Foto: Marcos Ermínio)Estelita e a família recorreram ao fogo para suprir a deficiência de falta de cobertores (Foto: Marcos Ermínio)
Sueli colocou os quatro filhos para dormirem juntos em uma cama (Foto: Marcos ErmínioSueli colocou os quatro filhos para dormirem juntos em uma cama (Foto: Marcos Ermínio


Comentário infeliz Sr. José Manoel, posso garantir que eles não tem um teto descente...mas devem ter orgulho de serem pessoas honestas e devem ser solidarias mesmo com o pouco que tem.
 
Felicio da Silva Ludgero em 26/07/2013 20:44:32
Então, sr. José Manoel, porque o senhor não saí algumas horas do seu computador, vai até uma loja, compra uma boa coberta, e faz uma doação para estas pessoas não morrerem intoxicadas pelo monóxido de carbono?

:/

Viviane e Aliny Mary, vocês podem informar como fazer para ajudá-los - ou se já há alguma ajuda a caminho para estas famílias?

Obrigada!
 
Andreia Ferreira em 22/07/2013 21:36:59
Fogueira em casa a noite é bom pra morrer intoxicado com monóxido de carbono.
 
jose manoel em 22/07/2013 17:13:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions