A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

07/05/2010 22:51

Filha de Siqueira é solta após ficar presa por 12 dias

Redação

A filha de Genival Siqueira, Flávia Siqueira, foi solta na noite desta sexta-feira no 3º Distrito Policial, local onde estava presa desde o dia 27 de abril. Sua prisão foi revogada pelo juiz da 2ª Vara Criminal, Olivar Augusto Roberti Coneglian.

Ontem a Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes contra as Relações de Consumo) apresentou o relatório final sobre a investigação do caso Siqueira, envolvendo a família do ex-garagista acusado de formação de quadrilha e estelionato.

O inquérito concluído tem 850 páginas e apresenta denúncias de 25 vítimas contra o ex-empresário e outras 5 pessoas da família. O prejuízo chega a R$ 345.545.

De acordo com o delegado Adriano Garcia Geraldo a apuração confirmou o dolo, ou seja, a consciência de que as ações da família eram criminosas. A Siqueira Automóveis funcionou por 27 anos na avenida Bandeirantes e começou a apresentar problemas financeiros no começo de 2006, fechando as portas em dezembro de 2008.

Ao terem ciência de que o negócio afundava em dívidas a família optou por não declarar falência e continuar no mercado. A mudança de endereço na mesma avenida dava provas de que a situação era difícil. A investigação mostra também que todos os 5 presos tinham participação no que o delegado chamou de "fábrica de golpes".

"A prática mais recorrente era quando a pessoa ia até a garagem vender um carro e recebia com cheque sem fundos. Eles tinham um forte poder de argumentação. Teve pessoas que esperavam até 6 meses para receber um dinheiro e acabou sem nada. Há casos de cheques em nome da Fábia, preenchido pela Flávia, assinado pelo Genival e pré-datado pela Ione. Eles tinham facilidade em assinar contratos e cheques, o que comprova a participação nas ações criminosas", detalhou Adriano.

Na hierarquia dos golpes, Genival encabeça a lista de responsáveis, seguido de Fábia, Flávia, Aparecida e Ione têm a menor participação nos crimes. Outros crimes apurados mostram o repasse de carros financiados a terceiros, que perderam o valor investido e não continuaram com o veículo.

A investigação durou 17 meses por conta da dificuldade em encontrar os envolvidos. Genival Siqueira esteve foragido em Goiânia (GO), Londrina e Maringá, no Paraná, e em propriedades rurais no interior de Mato Grosso do Sul. Fábia foi presa em Engenheiro Coelho, interior paulista, onde cursava faculdade e trabalhava com loteamentos residenciais.

Genival e Ione continuam em prisão, mas já tem pedido de liberdade protocolado.

Câmara de Vereadores entrega meio milhão de reais em emendas parlamentares
A Câmara Municipal de Costa Rica, a 305 quilômetros de Campo Grande, realiza nesta segunda-feira (dia 11) três sessões, duas delas especiais. Às 14h ...
Município de Itaporã comemora 64 anos de emancipação neste domingo
Conhecido como Cidade do Peixe, Itaporã, distante 227 km de Campo Grande, comemora 64 anos de emancipação neste domingo (10). A prefeitura municipal ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions