A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

22/06/2015 23:45

Fórum Trabalhista da Capital para com greve de servidores a partir de hoje

Lúcio Borges
Servidores protestam na frente do Fórum Ramez Tebet (Foto:  divulgação Sindjufe/MS)Servidores protestam na frente do Fórum Ramez Tebet (Foto: divulgação Sindjufe/MS)
(Foto:  divulgação Sindjufe/MS)(Foto: divulgação Sindjufe/MS)

Mais uma greve é deflagrada por servidores federais. A partir desta segunda-feira (22) o Fórum Trabalhista de Campo Grande ficou sem atendimento, com paralisação dos servidores do órgão, que resolveram entrar em greve por tempo indeterminado. A categoria do poder judiciário federal e Ministério Público da União, também paralisaram hoje as atividades, contudo, realizam assembleia geral amanhã a tarde, para decidir se permanecem em greve por melhores salários. Mais de 50% dos servidores do Forum cruzaram os braços a partir do inicio oficial do movimento nesta tarde, em busca de reajuste salarial, que há quase nove anos não é feito, informou o Sindjufe-MS.

Conforme Antônio César Medina, coordenador geral do Sindjufe/MS (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União em MS), por ser serviço essencial, haverá 30% da classe realizando os trabalhos nas unidades. “Começamos com pelo menos 50% de colegas parando. Acreditamos que a paralisação será superior a partir desta terça-feira. Como o judiciário federal é considerado serviço essencial para a comunidade, estamos trabalhando os órgãos para que funcionem com 30% dos servidores, como manda a lei", afirmou.

Já para José Ailton Pinto de Mesquita, coordenador jurídico do sindicato considerou um sucesso o movimento que hoje foi de protesto em Campo Grande. "A categoria reivindica a aprovação de Projeto de Lei que concede aumento salarial para a categoria, que aguarda esse benefício (reajuste salarial) há quase nove anos", disse.

Mesquita explicou ainda que a categoria busca a independencia deste setor do Judiciário. "Buscamos a recomposição de vencimentos da categoria, veiculado pelo PLC 28/2015 de autoria do STF (Supremo Tribunal Federal), órgão máximo do Judiciário Brasileiro, e contamos com a compreensão e apoio de toda sociedade e de toda a Magistratura, posto que a aprovação legislativa do referido PLC e sua sanção presidencial é necessária para garantir a autonomia institucional do Poder Judiciário”, afirma.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions