A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 22 de Setembro de 2018

05/05/2017 16:34

Governo investe 16,38% do orçamento estadual em saúde em 2016

O valor, mais de R$ 1,2 bilhão, está acima dos 12% obrigatórios, de acordo com a Constituição

Lucas Junot
A audiência foi presidida pelo presidente da comissão de saúde da Assembleia, Paulo Siufi (ao centro) e contou com a presença do secretário de saúde Nelson Tavares (à direita) (Foto: Lucas Junot)A audiência foi presidida pelo presidente da comissão de saúde da Assembleia, Paulo Siufi (ao centro) e contou com a presença do secretário de saúde Nelson Tavares (à direita) (Foto: Lucas Junot)

Balanço do governo do Estado, apresentado nesta sexta-feira (5), em audiência pública na Assembleia Legislativa, atestam que o Executivo investiu 16,38% do orçamento de 2016 em saúde em Mato Grosso do Sul. O valor, R$ 1.288.021.687,00, supera a obrigação constitucional de 12%.

De acordo com o secretário estadual de saúde, Nelson Tavares, 80% dos recursos aplicados foram de fontes próprias do governo. “Por muitos anos o sistema de saúde foi constituído com foco nos municípios. Nossa proposta trouxe o conceito da regionalização, descentralizando os investimentos e as ações de modo a estruturar o Estado para prestar um bom serviço”, comentou.

Durante a apresentação dos relatórios da gestão na saúde em Mato Grosso do Sul, o secretário apresentou ainda alguns indicadores estaduais no exercício de 2016.

As equipes de atenção básica atenderam 93,52% da população estimada, 2,7 milhões de habitantes. Pouco menos do que a meta estimada para o ano, de 95,44%. Já na saúde bucal, 100% da meta estimada foi atendida.

Outro dado divulgado foi com relação as mortes por Dengue no Estado. Ao longo de 2016 foram 15 casos, dois a mais do que a secretaria previa para o período.

Em Mato Grosso do Sul, das 1400 instalações de saúde, segundo o relatório, 1331 são de gestão municipal, 38 estaduais e 43 compartilhadas entre o governo do Estado e municípios, números que devem sofrer alteração com a política de regionalização.

“Temos há anos o hospital regional em Campo Grande, gerido pelo Estado. A administração, no entanto já deu ordem de serviço para a construção do hospital em Três Lagoas e prevê ainda novas estruturas em Dourados, Ponta Porã e outras cidades”, explicou Maurício Peralta, superintendente de orçamento e finanças da Secretaria Estadual de Saúde.

Três Lagoas - Parte integrante do projeto de regionalização da saúde em Mato Grosso do Sul, o Hospital Regional de Três Lagoas, teve ordem de serviço assinada no dia 27 de março. A obra foi inicialmente orçada em R$ 68,4 milhões, mas contratada por R$ 56,4 milhões.

As 138 acomodações hospitalares serão divididas. Seis de pré-parto, parto e pós-parto; três de indução e recuperação de pacientes; cinco de observação pediátrica; 22 de observação de paciente; duas de observação psiquiátrica; 10 de UTI cirúrgica; 10 de UTI clínica; 48 enfermarias; quatro de internação de isolamento; oito semicrítico; 12 de preparo e recuperação pós-anestésica e oito de observação e recuperação do paciente.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions