ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

Governo recebe hoje propostas de empresas para leilão da BR-163

Aline dos Santos | 13/12/2013 07:18
Mapa mostra trecho que será repassado à iniciativa privada em MS. (Imagem: ANTT)
Mapa mostra trecho que será repassado à iniciativa privada em MS. (Imagem: ANTT)

O governo recebe na tarde desta sexta-feira as propostas para o leilão da BR-163 em Mato Grosso do Sul. Conforme o cronograma, as empresas interessadas deverão entregar garantia da proposta, documentos de qualificação e proposta econômica escrita.

Na segunda-feira, serão divulgadas as propostas não aceitas. O leilão, que vai repassar 847,2 quilômetros da rodovia para a iniciativa privada será no próximo dia 17.

Em oito horas, entre às 8h e 16h do dia 22 de novembro, a ANTT (Agência Nacional de Transporte e Trânsito) recebeu 188 pedidos de esclarecimentos sobre o edital do leilão. Dentre as dúvidas, predominaram temas como equilíbrio financeiro, prazos para licença ambiental, reversão de bens e até a disposição das cabines de pedágio.

A cobrança do pedágio gerou questionamentos dos interessados no certame. Um dos pontos era o pedido sobre a data para a cobrança da tarifa. A ANTT esclarece que a empresa só poderá iniciar a divulgação dos valores após a cobrança ser autorizada pela agência.

A tarifa entra em vigor 10 dias depois.No caso de antecipar a meta, a cobrança pode ser iniciada antes do período previsto. O reajuste na tarifa será sempre anual.

A empresa vencedora da concorrência deverá executar serviços de duplicação, recuperação, manutenção, conservação, operação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade da rodovia. A primeira praça de pedágio será instalada em Mundo Novo e a última em Sonora. Vence quem oferecer a menor tarifa teto: fixada em R$ 9,27 por cada 100 km.

O prazo para explorar a concessão será por 30 anos, com possibilidade de prorrogação pelo mesmo período. O leilão será na Bolsa de Valores de São Paulo. Um dos pontos que pode afetar o interesse pela rodovia sul-mato-grossense é a mudança na rota do escoamento da safra. A expectativa é que parte da produção, hoje escoada por São Paulo e Paraná, siga para os portos do Pará.

Nos siga no Google Notícias