A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

28/04/2017 18:08

Greve que prometia parar tudo perdeu força ao longo do dia na Capital

Das 10 mil pessoas que participaram da passeata contra as reformas, cerca de 600 pessoas foram a Assembleia Legislativa para participar da audiência pública

Lucas Junot
Antes mesmo da conclusão dos debates na Assembleia Legislativa, à tarde, boa parte dos manifestantes tinham ido embora (Foto: Lucas Junot)Antes mesmo da conclusão dos debates na Assembleia Legislativa, à tarde, boa parte dos manifestantes tinham ido embora (Foto: Lucas Junot)

A greve geral que prometia parar o Brasil, em Campo Grande limitou-se ao período da manhã. Das 10 mil pessoas que, segundo a Polícia Militar, participaram da passeata contra as reformas da Previdência e trabalhista, à tarde cerca de 600 pessoas foram a Assembleia Legislativa para participar da audiência pública que tratou do tema.

Boa parte dos grevistas dispersou antes mesmo da conclusão dos debates. Material divulgado pelos organizadores falaram que as manifestações mobilizaram mais de 50 mil pessoas.

A sexta-feira (28) amanheceu com rodovias bloqueadas, motoristas do transporte coletivo de braços cruzados, terminais vazios e a maioria das escolas públicas fechadas. As manifestações, parte da greve geral contra as reformas da Previdência e trabalhista propostas pela gestão de Michel Temer (PMDB), no entanto, não tiveram adesão popular estimada, mas mesmo assim causou transtorno em diferentes pontos do Estado.

A BR-163, em Dourados, chegou a ser bloqueada (Foto: Adilson Dominigios)A BR-163, em Dourados, chegou a ser bloqueada (Foto: Adilson Dominigios)
Houve congestionamento na BR-463, em Dourados (Foto: Helio de Freitas)Houve congestionamento na BR-463, em Dourados (Foto: Helio de Freitas)

Pela manhã, vias importantes do Centro, como a Avenida Afonso Pena e Rua 14 de Julho, foram interditadas para a realização da passeata, que durou cerca de duas horas e meia.

Houve protesto em quatro rodovias no Estado. Em Três Lagoas, a rotatória da BR-262 (próximo ao km 13) com a BR-158 (próximo ao km 279) foi totalmente bloqueada.

Em Dourados o bloqueio foi na BR-463 que liga o município a Ponta Porã, onde manifestantes liberaram o tráfego a cada cinco minutos. Também houve protestos na MS-156 e na BR-163 feitos por indígenas,estudantes e sindicalistas.

O cruzamento das avenidas Marcelino Pires com a Hayel Bon Faker, no centro de Dourados também chegou a ser interditado.

Mais de 90% das escolas municipais foram afetadas pela greve (Foto: Marcos Ermínio)Mais de 90% das escolas municipais foram afetadas pela greve (Foto: Marcos Ermínio)

A greve geral fechou 92,2% das unidades da rede municipal de ensino em Campo Grande. Das 193 escolas e Ceinfs (Centros de Educação Infantil), 178 tiveram suas atividades paralisadas parcial ou completamente.

A assessoria de imprensa da Prefeitura da Capital informou que 68 Ceinfs paralisaram totalmente suas atividades, enquanto 21 ficaram parcialmente paradas e 9 seguiram normalmente com os trabalhos. Apenas uma unidade suspendeu as aulas devido a serviço de dedetização.

Foram 89 escolas municipais paradas hoje, sendo 11 de forma parcial. Quatro seguiram funcionando normalmente e uma parou para os trabalhos de dedetização.

A reforma trabalhista, aprovada na quarta-feira (26), agora segue para apreciação do Senado. Caso haja alguma alteração, a proposta volta para a Câmara dos Deputados. Já a reforma da previdência ainda não tem data para ser votada.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions