A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Junho de 2018

02/02/2008 08:53

Hemosul abre hoje e na segunda de carnaval para doação

Redação

Há cinco anos Maria Pereira Garcia e as irmãs preservam uma rotina de doação de sangue a cada três meses, nem a folga de carnaval fez as três quebrarem o compromisso trimestral. No sábado, acordaram cedo para cumprir a tarefa no Hemosul, em Campo Grande. Maria conta que tudo começou quando um parente precisou de sangue, após um acidente. "Nunca mais deixamos de doar, primeiro para ajudar, depois porque o Hemosul fornece exames de graça o que é ótimo".

Depois de tanto tempo como voluntárias, elas conseguiram mais um reforço. Convenceram um cunhado a participar. Mauro José da Silva, 47 anos, esteve hoje também no Hemosul, mas não conseguiu doar. "Fiquei frustrado", comentou. Ele foi "barrado" pela equipe de coleta por ter viajado para o Tocantins, área de risco de Febre Amarela. Terá de esperar seis meses para doar sangue, mas fez o cadastro de doador de medula óssea. Caso, em qualquer lugar do país, algum paciente tenha compatibilidade com esse novo voluntário. Mauro será convocado para a doação de medula óssea.

O Hemosul de Campo Grande resolveu abrir durante o carnaval para garantir o estoque em uma época em que falta sangue e sobram acidentes. Um agravante foi a queda nas doações nos últimos meses, de 100 doadores normalmente registrados, a média diária caiu para 80. A febre amarela seria uma das causa, já que quem toma vacina também tem de ficar 22 dias sem doar.

Uma campanha com tradicionais aliadas, as Forças Armadas, diminuiu o problema na semana passada, mas ainda falta sangue dos tipos negativos. "Por isso resolvemos abrir no sábado e na segunda-feira de carnaval", justifica a assistente social Neuraci Leonel. No dia 4 de fevereiro o atendimento será feito também até o meio dia, como neste sábado.

Para ser um doador a pessoa precisa ter entre 18 a 65 anos, pesar no mínimo 50 quilos, não ter ingerido álcool 48 horas antes da doação e estar alimentado. Após a coleta, o sangue passa por testes e aprovação para uso.

Campo Grande é o centro coordenador da Hemorrede em Mato Grosso do Sul e repassa sangue aos municípios, apesar de 11 postos de coleta funcionarem no interior. O auxiliar de enfermagem, Anderson Souza, também aproveitou a folga de carnaval para fazer a doação. Segundo ele, a decisão ocorreu após acompanhar de perto a agonia de família com pacientes internados na Santa Casa, que dependem de sangue para sobreviver. "

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions