A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

03/07/2013 14:34

Índios invadem sede de secretaria para pedir saída de coordenador

Ângela Kempfer e Helton Verão
Índios dentro do prédio na Via Parque. (Foto: Cleber Gellio)Índios dentro do prédio na Via Parque. (Foto: Cleber Gellio)
Grupo faz protesto contra abandono. (Foto: Cleber Gellio)Grupo faz protesto contra abandono. (Foto: Cleber Gellio)

Um grupo de representantes das oito etnias indígenas de Mato Grosso do Sul ocupou na tarde de hoje a sede da Sesai (Secretaria de Saúde Indígena). Eles entraram pacificamente, mas os funcionários resolveram suspender os serviços.

Os índios querem o afastamento imediato do coordenador do órgão no Estado, Nelson Carmelo. Segundo eles, pessoas estão morrendo nas aldeias por problemas simples, por conta do total abandono da Secretaria que substituiu a Funasa no atendimento à saúde indígena.

Os manifestantes dizem que a criação da Sesai acabou com a qualidade dos serviços nas aldeias. “Virou bagunça”, diz um dos representantes do movimento, Fernando Souza.

Ele garante que os técnicos de enfermagem que aparecem nas aldeias, chegam sem materiais básicos para o atendimento. “No último ano a verba para saúde dobrou de R$ 20 milhões para R$ 45 milhões, como então que a coisa só piora?”, questiona.

Também lembra do caso de um homem que morreu de pneumonia sem nunca ter sido encaminhado ao médico. A doença, segundo Fernando, é um dos principais motivos de morte nas comunidades indígenas do Estado.

Em um prédio novo, na Via Parque, o grupo encontrou instalações bonitas, até “luxuosas” na opinião dos índios. “Já nas aldeias a situação ta bem difícil, cada ano mais”, critica Fernando.

O agente de saúde Reginaldo Aquino, índio guarani da aldeia Panambizinho, em Dourados, fala em “retrocesso”. “Quando tem receita, o índio vai retirar o medicamento, mas nunca acha”, reclama.

O grupo não encontrou o coordenador no local, mas aproveita o protesto para gravar a movimentação e depoimentos dentre as cerca de 50 pessoas presentes à manifestação, para enviar ao Ministério da Justiça.

Mega-Sena acumula e prêmio no sábado pode chegar a R$ 39 milhões
A Mega-Sena mais uma vez ficou sem vencer na noite desta quarta-feira (13) e, assim, acumulou. O prêmio pode subir para R$ 39 milhões no sorteio do p...
Chuva intensa de meteoros terá pico na madrugada de quinta-feira
A chuva de meteoros Geminídeos – uma das mais intensas e brilhantes do ano – vai ocorrer durante a noite de hoje (13) e a madrugada de amanhã (14) e ...
STF tem maioria a favor de delação negociada pela Polícia Federal
O Supremo Tribunal Federal (STF) formou hoje (13) maioria para manter a autorização legal para que a Polícia Federal (PF) possa negociar delações pre...


Nas sociedades contemporâneas o direitos de ir e vir também se aproximou aos povos indígenas, graça a legislações que se criaram sobre os direitos dos povos indígenas, que sempre esteve apena na teoria, hoje com domínio de conhecimentos das sociedades envolvente apena estamos colocando em pratica o que jã estava escrito- que também é direitos de todos os brasileiros direito a liberdades, a igualdades, a propriedades e a segurança. não queremos mais do que é por direito, se isso for errado, não temos culpa porque não fomos nós que fizemos as leis, até porque nem mesmo esta na língua indígena Somos apena usuários de uma coisa já estabelecida que um bom cidadão brasileiro tem q colocar em pratica.
 
Claudemiro Pereira Lescano em 10/07/2013 15:41:05
As comunidades indígenas assistidas pelas equipes de saúde recebem na grande maioria atendimento qualificado e especial, uma vez, que recebem devido atendimento segundo suas pecularidades culturais e principalmente geograficas. Uma vez que a população não indígena, quando toma conhecimento do atendimento que os indios aldeados recebem, sentem-se inferiores,haja vista que, o não indigena para receber atendimento recorre aos seus próprios recursos. Já o indigena recebe este atendimento domiciliar, sendo que, os funcionários das equipes de saúde atuantes nas áreas indigenas tem suas obrigações no cumprimento da cobertura satisfatória estabelecidas pelos Programas de Saúde preconizados pelo Ministério da Saúde.
 
Gilmar Rodrigues em 04/07/2013 14:41:21
Cara Geyse, infelizmente não tive a oportunidade de ir em nenhuma aldeia indígena acompanhar a questão da saúde, nem a questão de repasse, e salário, porém você já foi em algum posto de saúde, você já madrugou para poder agendar uma consulta, não estou questionando o protesto de vocês, apenas estou questionando a forma como ele é feito, não é invadindo aqui ou ali que resolveremos todos os problemas, temos que exigir e cobrar daqueles que decidem, exemplo: quem colocou o diretor do Sesai no poder? tem que ir cobrar lá e não invadindo o órgão onde estão pessoas trabalhadoras cumprindo seus deveres, temos que exigir das pessoas que resolvem....
 
Gilmar dos Santos em 04/07/2013 09:06:53
Evódio continuando, o preconceito estão em vocês mesmos, como falei, quando expressamos nossa opinião a desfavor dos atos dos indios, vcs sempre vem com a tal do Preconceito..... e respondendo sua outra pergunta, eu tenho titulo de eleitor sim, como vcs também devem ter, eu votei em pessoas que acreditei que poderiam fazer algo melhor pelo nosso país, e pode ter certeza que cobro daqueles que eu ajudei a eleger, que cumpram suas promessas, porém cobro de uma forma sensata e coerente, e não invadindo, fazendo pressão, exigindo isso ou aquilo, vivemos em uma democracia e não em uma terra sem Lei, Lei esta que muitos acham estar acima dela......
 
Gilmar dos Santos em 04/07/2013 09:02:32
índio quer médico para que , eles não tem o pajé com suas ervas medicinais , querem ser brancos quando convêm , voltem para suas aldeias e continuem invadindo fazendas dos outros , que é a única coisa que sabem fazer.
 
daniel duraes em 04/07/2013 08:59:25
Meu caro Evódio 1- que não sou coitado, 2 - muito menos produtor burguês e quem dirá analfabeto, 3 - tão pouco preconceituoso, porém acho que existem outras formas de manifestação, e não ficar invadindo um lugar ou outro, porque não invadir a Câmara Federal, o Congresso Nacional, Governadoria que é o lugar onde tudo se resolve, apenas fiz um comentário, de que tudo que hoje se refere ao indígenas o negócio é invadir, invadiram a fazenda buritis, a fazenda em Aquidauana exigindo a terra, porém do que adianta invadir se quem é o dono e que lá esta não tem nada a ver com a situação, invadam os setores que resolvam a situação, invadir uma fazenda, ou órgão publico que esta passivo de segurança é fácil, dar ordem pra trabalhadores retirarem-se de suas casas é fácil né, enfrentem quem resolve.
 
Gilmar dos Santos em 04/07/2013 08:57:01
Realmente, como ainda tem alguém no Brasil, como esse tal de Gilmar, achar que ouvimos de alguém que a situação da politica de saúde nas aldeia está ruim é precisa melhora! Caro Gilmar, somos tão intelecto como as demais pessoas, não precisamos de interlocutor para entendermos que temos direito sim! Queremos e precisamos, é por direito!
 
Celio Terena em 03/07/2013 22:43:15
Sou servidora da SESAI em uma aldeia do Estado e confesso, o assedio moral impostos pela secretaria em cima de seus servidores é muito grande. Eu e muitos outros temos amor na nossa profissão, porem a falta de medicamentos básicos, viaturas e outras coisas mais nós impede de prestar atendimento a população. Pensa que isso é fácil? Eu respondo! Não é fácil. Quando principalmente vemos criança morrendo sem atendimento, idosos sem ter viaturas para socorre los. Parabéns aos indígenas pela coragem e pela luta centenária pelos seus direitos. Agora só falta o NÃO ÍNDIO aprender a lutar como vcs.,
 
Daniela Fialho em 03/07/2013 18:14:02
VIVA, VIVA OS ÍNDIOS,ESTÃO CERTÍSSIMO EM REIVINDICAR CONDIÇÕES DIGNA DE ATENDIMENTO A SAÚDE DELES, AGORA SE OS DEMAIS NÃO O FAZ E DEIXA ACONTECER O QUE ESTA ACONTECENDO OU ENTÃO SÓ SABE XINGAR OS SERVIDORES QUE ESTÃO ALI, E ENQUANTO ISTO OS VERDADEIROS RESPONSÁVEL PELO CAOS CONTINUAM NUMA BOA A NÃO SER QUANDO POR UM ACASO DO DESTINO A CASA CAI KKKKK
 
cleuza pedrosa em 03/07/2013 17:00:44
Pronto! Coitado desse Gilmar dos Santos.
Por um acaso vc tem titulo de eleitor, meu caro?
Se tem ,vc não tem informações suficiente para se manifestar.Largue deste seu lado de produtor burguês analfabeto politicamente e caia na realidade.Preconceito são para os idiotas. Largue dessa idiotice.A luta não é contra vc ou outra pessoa, e sim contra corrupção que impera neste nosso querido BRASIL, inclusive na SESAI- Secretaria de Saúde Indigena do MS.

Evódio Vargas-Engº civil - Etnia Terena
 
Evódio Vargas em 03/07/2013 16:45:41
Senhora Geyse sabe quantos milhões são repassados no convênio firmado entre o ministério da saúde e a Ong do seu Estado? Sabe por que também nunca há questionamentos sobre este dinheiro? Sabe também aonde está a prestação de contas desse dinheiro do governo federal? Que não deixa de ser meu, teu, nosso!!!
 
Christiano Faria em 03/07/2013 16:23:50
Alguém já parou para fazer o somatório do dinheiro repassados aos convênios que o ministério da saúde faz com as ONGs, só citando uma das Ongs do portal da transparência que recebe pelo município de Dourados, convênios firmados em torno de R$ 583.181.070,23 é dinheiro para esses índios de nosso país hein, não acham??? Para saúde!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Cadê o Ministério Público pra investigar??? Cadê a prestação de contas???

 
Christiano Faria em 03/07/2013 16:15:53
Caro Gilmar, só algumas perguntinhas básicas para ti: Já foi em alguma aldeia indígena, na sua vida? Sabe como os índios são atendidos no setor da Saúde e Educação neste país e, em específico, no Mato Grosso do Sul? Sabe qual o salário de um médico e atendente da Saúde Indígena? Sabe qual o valor do repasse do Governo Federal à SESAI. Bem, se não sabe a resposta de nenhuma pergunta elencada neste post não pode emitir parecer sobre a questão indígena. Abraços e Luz no seu caminho.

Ikáxuy ongovo yara ókoku hora eyéngoxoa koeku vyénoxapa ya pananake, itea ngurikoa vo'ókuke Hánaiti Itukó'oviti.
 
Geyse Ortega em 03/07/2013 15:52:40
A falta de respeito ao povo brasileiro, índio, produtores e profissionais da saúde é lamentável. Alguns fatores devem ser considerados: A falta não é de médico, mas de condições de trabalho, tanto isso é verdade, que o Brasil é onde existe o maior número de advogados, no entanto temos a pior justiça. A terra que seria do índio não pode ficar em poder da união, mas deve ser passada através de escritura em nome de cada índio, conforme a divisão da área pela a quantidade de índio, senão, hoje o maior latifúndio é terra indígena, mas na prática nenhum índio tem nada.
 
fauster paulino em 03/07/2013 15:05:19
A pronto agora virou " casa da mãe joana" msm, agora é assim q funciona, esses indis já estão se achando os donos do mundo é??? ele acham que tudo tem que funcionar do jeito que eles querem, daki uns dias eles vão começar a invadir casa, terrenos, mercados e pronto, pq se alguém fala alguma coisa contra eles, nossa chove critica, sempre tem uns que vem e falam COITADINHO deles e blablabla.... ta loco, se for ver eles são mt mais espertos que nós isso sim.... ta na hora de colocar um ponto final e mostrar como as coisas funcionam....
 
Gilmar dos Santos em 03/07/2013 15:03:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions