ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 31º

Interior

Sete anos depois, ação civil pede ressarcimento de ex-prefeito em Coronel Sapucaia

Angela Kempfer | 03/07/2011 09:58

Ação civil pública pede ressarcimento no valor de R$ 362,9 mil reais por desfalque durante a gestão do ex-prefeito de Coronel Sapucaia Eurico Mariano, que deixou o cargo em 2004.

A Promotoria de Justiça de Amambai fez a denúncia no dia 30 de junho, também contra o chefe de gabinete, secretário de finanças, secretária municipal de Educação, diretor do Departamento de Recursos Humanos e secretária de Administração que atuaram na época.

As investigações do Ministério Público Estadual começaram em 2003, no segundo ano de mandato de Eurico Mariano, que ocorreu entre janeiro de 2001 e dezembro de 2004.

Na avaliação do MPE, foi “uma gestão marcada pela prática de diversas irregularidades, por crimes contra a administração pública, ações de improbidade administrativa e até mesmo um homicídio doloso contra um jornalista opositor político”.

O assassinato ocorreu em abril de 2004. O radialista Samuel Roman, morreu na fronteira com o Paraguai, executado a tiros no dia 20 de abril. Eurico Mariano foi acusado de ser o mandante do crime, porque era denunciado pelo jornalista.

Ele foi a juri em agosto de 2007, condenado a 17 anos de prisão em regime fechado, mas a defesa pediu a anulação do julgamento.

A Promotoria ainda acusa o ex-prefeito de idealizar “um esquema de desvio de recursos públicos mediante pagamentos a pessoas que na verdade não integravam o quadro administrativo da municipalidade sapucaiense”.

O MPE também pede que os atos de improbidade resultem na suspensão dos direitos políticos do envolvidos, na perda da função pública e na indisponibilidade dos bens.

Em outubro de 2004, Eurico Mariano chegou a ser afastado da prefeitura por decisão judicial, sob acusação de irregularidades em processos de licitação. Mas entrou com recurso e retornou ao cargo dias depois.

Nos siga no Google Notícias