ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 23º

Interior

Após protesto por doses, adolescentes indígenas conseguem 3 mil vacinas

Líderes da Reserva do município se reuniram com o Geraldo Resende e garantiram as doses

Por Nyelder Rodrigues | 14/09/2021 10:06
Protesto por mais vacinas na Reserva Indígena de Dourados foi realizado ontem, por adolescentes. (Foto: Divulgação)
Protesto por mais vacinas na Reserva Indígena de Dourados foi realizado ontem, por adolescentes. (Foto: Divulgação)

Adolescentes da RID (Reserva Indígena de Dourados) - município que fica a 233 km de Campo Grande - reivindicaram ontem (13), em protesto no posto de saúde local pedindo mais vacinas contra a covid-19 e, neste terça-feira, foi anunciado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde), o envio de mais 3 mil doses.

Sob a alegação que vacinas não estavam sendo repassadas para aplicação na comunidade, vários jovens moradores da Reserva foram protestar com cartazes em frente a unidade de saúde da região, fato esse registrado pelo indígena Fernando Souza.

Em seu perfil no Facebook, Souza revelou que na semana passada, já tinha sido feito cobrança ao Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena) para que fosse resolvido o problema, o que não ocorreu. MPF (Ministério Público Federal) e Defensoria Pública também foram avisados da situação passada no local.

Os indígenas da Reserva de Dourados apontam que houve "discriminação, preconceito e racismo institucional por negar esse direito básico em plena pandemia", indicando ainda que adolescentes já estão sendo imunizados em várias áreas urbanas do Estado, além de idosos já estarem sendo vacinados com a terceira dose.

"Aqui nas aldeias, nada", denuncia Fernando Souza, ao comentar a situação alvo de manifestação dos adolescentes indígenas da escola Guateka. Contudo, logo nesta manhã de terça-feira, foi postada foto de reunião com o chefe da SES, o secretário Geraldo Resende, em que foi garantido o repasse de mais doses.

Reunião nesta terça-feira entre líderes indígenas e o chefe da pasta estadual de Saúde, Geraldo Resende. (Foto: Reprodução/Facebook)
Reunião nesta terça-feira entre líderes indígenas e o chefe da pasta estadual de Saúde, Geraldo Resende. (Foto: Reprodução/Facebook)

Conforme a assessoria de comunicação da SES, serão 3 mil doses para reforçar a vacinação de adolescentes e quem mais precisar na Reserva Indígena de Dourados. Contudo, é negado que houve desabastecimento naquela área.

"Mato Grosso do Sul recebeu em 18 de janeiro a quantidade de doses de vacina para imunizar 100% da população indígena do Mato Grosso do Sul acima de 18 anos. Portanto, não houve desabastecimento", frisa a nota da SES.

Ainda segundo a pasta estadual de saúde pública, a vacinação de indígenas é de responsabilidade da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena), órgão que coordena os Dseis (Distritos Especiais Sanitários Indígenas).

"Enquanto o Ministério da Saúde não envia as doses para a Sesai, a Secretaria de Estado de Saúde resolveu antecipar e deliberou enviar 3 mil doses da vacina da Pfizer, conforme resolução desta segunda-feira, 13 de setembro", completa.

Saúde indígena - A reportagem também tentou entrar em contato com o Dsei para buscar um posicionamento do órgão, porém, até o fechamento do texto não obteve êxito, já que as ligações para a sede da entidade não foram atendidas nesta manhã.

Também houve contato com o líder do Condisi (Conselho Distrital de Saúde Indígena), Clenivaldo Pires Xavier, o Branco do Babaçu, mas ele afirmou que não poderia atender naquele momento por estar no trânsito, e só falaria posteriormente.

Conforme explicado pela SES, serão 1,5 mil doses para aplicação da primeira dose em adolescentes e 1,5 mil doses para aplicação da terceira em idosos. A previsão é que até o dia 20 de setembro, aconteça a chegada das doses para a Sesai distribuir em Mato Grosso do Sul, atendendo assim a demanda local.

(*)Matéria atualizada para acréscimo de informações às 10h40.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário