ACOMPANHE-NOS    
MAIO, DOMINGO  09    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Às margens do Rio Taquari, Coxim celebra hoje 123 anos de emancipação

A cidade tem sua força na agropecuária, sendo referência na região Norte do estado para comércio

Por Giovana Martini | 11/04/2021 08:57
O município de Coxim visto de cima. (Foto: Prefeitura Municipal de Coxim)
O município de Coxim visto de cima. (Foto: Prefeitura Municipal de Coxim)

O município de Coxim, distante 255 quilômetros da Capital, comemora neste domingo (11) o aniversário de sua emancipação política administrativa. Em 2021, a alforria completa 123 anos.

Em 1729, Domingos Gomes Beliago estabeleceu o Arraial de Beliago à margem direita do Rio Taquari, para atuar como entreposto de expedições fluviais entre São Paulo a Cuiabá, responsável pela consolidação da fronteira oeste do Brasil. Em 1862, Herculano Ferreira Vena, governador da província, criou o núcleo colonial de Taquari junto ao Arraial de Beliago, que teve a denominação de São José de Herculânea, que hoje conhecemos como a cidade de Coxim, elevada a distrito pela Lei nº 1 de 06 de novembro de 1872 e o município criado pela Lei nº  202, de 11 de abril de 1898.

Às margens do encontro dos rios Taquari e Coxim, Coxim conta com cerca de 33 mil habitantes. Consagrada por anos como a Capital do Peixe, o local faz a alegria de pescadores de todos os cantos do país.

 Coxim é também conhecida como a Terra do Pé de Cedro, da música de Zacarias Mourão, interpretada por grandes nomes da música brasileira que ajudaram a projetar o município para todo o país. É também lá onde nasceram os sertanejos da da dupla João Bosco e Vinicius.

Por conta do quadro da pandemia do coronavírus em Mato Grosso do Sul, o aniversário deste ano não contará com o tradicional desfile cívico-militar pelas ruas da cidade.

Pelos seus 123 anos, a cidade ganhou dois relógios de uma cooperativa que atua no município.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário