ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 18º

Interior

Bombeiros retomam combate ao fogo na Nhecolândia com reforço de militares do PR

Ao todo a força-tarefa de combate aos incêndios no Pantanal conta com o efetivo 273 agentes entre militares e brigadistas

Por Adriano Fernandes | 17/09/2020 22:42
Bombeiros durante o combate a um dos focos de incêndio do local. (Foto: Chico Ribeiro)
Bombeiros durante o combate a um dos focos de incêndio do local. (Foto: Chico Ribeiro)

Com o apoio de militares do Paraná o Corpo de Bombeiros retomou o combate aos focos de incêndio que há uma semana, devastam a vegetação na região do Porto da Manga, Pantanal do Nhecolândia, em Corumbá, na manhã desta quinta-feira, 17.

A força-tarefa que também é composta por brigadistas do Prevfogo/Ibama e Marinha do Brasil dividiram esforços em pontos estratégicos da região da Manga. Em helicóptero da Marinha os militares do 3°Grupamento de Bombeiros também sobrevoaram, no início da tarde desta quinta-feira, os principais focos de incêndio na região pantaneira ao norte do município de Corumbá, onde foi constatada a necessidade do deslocamento de equipes para os focos.

A região fica a quase 30 quilômetros do perímetro urbano de Corumbá, onde o único acesso é via fluvial ou aéreo. Nas primeiras desta sexta-feira (18), serão definidos os pontos de combates aos incêndios assim como a composição das equipes em seus deslocamentos e missões a serem realizadas, durante este dia.

Desespero - Na última terça-feira (15), o fogo também chegou a 200 metros de uma vila a beira do Rio Paraguai, distante 60 quilômetros da cidade pela MS-228 a Estrada-Parque. Contudo, foi controlado pelos bombeiros é brigadistas  do Prevfogo do Ibama e da Marinha.

"Graças a Deus tivemos apoio do governo e da Marinha, os moradores entraram em pânico, foi uma correria para apagar o fogo que estava sendo empurrado pelo vento.", relatou o pescador Delson Carneiro, antigo morador. Ele disse que, para sorte da comunidade, o incêndio surgiu durante o dia. "A noite a gente não teria esse apoio, o fogo ia destruir tudo",  afirmou.

Militares em meio a vegetação completamente destruída pelo fogo. (Foto: Chico Ribeiro)
Militares em meio a vegetação completamente destruída pelo fogo. (Foto: Chico Ribeiro)

O comandante do 3º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Corumbá, tenente-coronel Luciano Aguilar, conta que a pronta ação da força-tarefa evitou uma tragédia. "O fogo atingiu o galinheiro de um morador ribeirinho e chegaria na casa, mas conseguimos debelar as chamas ", observou.

O grupo de 15 bombeiros do Paraná chegou a Corumbá em três viaturas e integrou a Operação Pantanal II, coordenada pela Marinha de Ladário. A parceria do governo paranaense inclui ainda o apoio de sete caminhões-pipa, totalizando 42 mil litros de água, os quais chegarão à região ainda esta semana.

A prioridade da operação em Corumbá, nesse momento, é o combate aos focos de calor no Porto da Manga, onde atuam 15 bombeiros de MS e PR. O fogo, segundo os moradores, surgiu próximo ao antigo canal do Rio Taquari e pulou o Rio Paraguai.

Força-tarefa - Ao todo a força-tarefa de combate aos incêndios no Pantanal conta com o efetivo de 68 militares do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul, 15 bombeiros militares do Paraná, 28 brigadistas do Prevfogo/Ibama e 162 militares do 6° Distrito Naval da Marinha do Brasil.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário