A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

29/02/2016 14:26

Chuva incessante impede recuperação de estradas e moradores estão isolados

Enfrentando período mais chuvoso das últimas décadas desde novembro, município de Amambai não consegue recuperar estragos e rodovias estão intransitáveis

Helio de Freitas, de Dourados
Erosão causada pela chuva em Amambai (Foto: Vilson Nascimento/A Gazeta News)Erosão causada pela chuva em Amambai (Foto: Vilson Nascimento/A Gazeta News)

A chuva não dá trégua aos municípios do cone sul de Mato Grosso do Sul e os estragos só aumentam desde novembro do ano passado, quando começou a chover acima da média em toda a região. Em Amambai, minas d’água brotam no meio de ruas asfaltadas no perímetro urbano, na zona rural estradas estão intransitáveis e dezenas de pontes ainda precisam ser reconstruídas, mas as obras estão suspensas por que não para de chover.

De acordo com o secretário de Obras de Amambai, Éder Espíndola, as chuvas dos últimos dias danificaram vários pontos de estradas rurais que já tinham sido recuperadas após os estragos provocados pela força das águas. Várias propriedades estão isoladas.

Espíndola disse ao site A Gazeta News que além de estragar o que já havia sido recuperado, as intensas chuvas dos últimos dias causaram novos danos, o que redobra a preocupação, já que produtores rurais estão em plena colheita da soja.

Transporte escolar – Assim como em Naviraí, o transporte escolar de alunos que moram em sítios e fazendas também está comprometido em Amambai. Nesta segunda começou o ano letivo, mas estudantes de várias regiões do município não foram para a escola porque os ônibus conseguiram chegar às áreas rurais.

Com tanta água, leitos de estradas, tanto em Amambai quanto em municípios da região, se transformaram em buracos abertos pela erosão. Na região conhecida como “Chorro”, uma chuva de 120 milímetros, na semana passada, rompeu uma represa e a força da água transformou o leito da estrada em uma cratera.

Rodovias – As rodovias estaduais que cortam a região também estão com trechos destruídos pela chuva. Na MS-386, conhecida como “Estrada Velha de Iguatemi”, uma cratera foi aberta no meio da pista, ainda no final de 2015, e não há previsão de quando o trabalho de recuperação vai começar.

Na MS-485, que liga Amambai a Aral Moreira, minas d’água surgiram na estrada. No trecho do Cemitério Municipal Crepúsculo até o Conjunto Habitacional Pôr-do-Sol, um verdadeiro córrego se abriu na margem da rodovia. O problema já tinha surgido em dezembro, quando o Campo Grande News esteve no município de Amambai.

Em outro trecho da rodovia, apenas carros pequenos, e com muita dificuldade, passam pelo atoleiro, mas caminhões carregados com soja não conseguem seguir viagem. Um caminhão pequeno e uma carreta, os dois carregados com grãos, atolaram no local, no sábado.

Essa mesma rodovia está interditada na altura do Rio Canguery, desde dezembro, depois que a ponte de madeira foi levada pela água após chuvas intensas. O prefeito de Amambai, Sérgio Diozébio Barbosa, disse ter falado por telefone com o secretário estadual de Obras, Ednei Marcelo Miglioli, e recebido a informação de que a reconstrução da ponte será contratada nos próximos dias.

Secretário de Obras Éder Espíndola faz levantamento de estragos da chuva em Amambai (Foto: Vilson Nascimento/A Gazeta News)Secretário de Obras Éder Espíndola faz levantamento de estragos da chuva em Amambai (Foto: Vilson Nascimento/A Gazeta News)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions