ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 16º

Interior

Com cidade tomada pelo mato, placas exaltam “amor por Dourados”

Matagal cobre até mesmo outdoor da prefeita e família desejando boas festas

Por Helio de Freitas, de Dourados | 10/12/2020 10:03
Letreiro exaltando amor por Dourados instalado atrás do terminal rodoviário (Foto: Divulgação)
Letreiro exaltando amor por Dourados instalado atrás do terminal rodoviário (Foto: Divulgação)

Campanha feita “no apagar das luzes” da atual administração municipal para exaltar o amor por Dourados está “bombando” nas redes sociais na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul.

Letreiros com um coração vermelho e a palavra “Dourados” instalados em quatro pontos da cidade viraram motivo de muitas críticas à prefeita Délia Razuk (sem partido) por contrastar com o abandono do município.

O mato toma conta de áreas públicas de responsabilidade da prefeitura, invade pistas de caminhada em volta de parques ambientais e até canteiros da área central se transformaram em verdadeiros campos de pastagem.

Com exceção das três avenidas centrais recapeadas pelo Governo do Estado, todas as outras vias da cidade estão cheias de buracos e a prefeitura enfrenta crise sem precedentes na saúde, em plena pandemia do novo coronavírus.

“Você notou? Estão sendo colocados em quatro cantos do nosso município esses letreiros para que você também possa registrar suas fotos dedicando seu amor a Dourados e aos visitantes, marcar momentos inesquecíveis”, afirma postagem feita na página oficial da prefeitura no facebook.

Segundo a assessoria da prefeita, os letreiros estão sendo instalados no terminal rodoviário, na saída para Campo Grande, no aeroporto e no Parque Antenor Martins, no Jardim Flórida. “Vale observar que esse é um projeto da atual administração que teve início em 2017”, completa a assessoria.

Entretanto, o que era para ser motivo de festa para marcar o encerramento da administração virou chacota nas redes sociais. Em comentários na página da prefeitura no Facebook, os moradores criticaram a iniciativa no momento em que a cidade está abandonada.

“Se tivesse usado um terço do dinheiro desses letreiros para tampar os buracos da cidade já resolveria muita coisa. Só para você ter uma ideia, é um projeto de 2017 que só conseguiram fazer agora”, comentou um morador.

“Que maravilha! Em 3 anos conseguiram fazer 4 letreiros! Vai revolucionar a cidade com essa eficiência! Obras indispensáveis!”, escreveu outro.

“Vale ressaltar que o projeto teve início em 2017 e o letreiro está sendo posto agora em quase 2021. Vale ressaltar que o mato dos parques não vai deixar ninguém ver, vale ressaltar que a saúde e o asfalto estão um lixo, o que tirou a vontade e o orgulho das pessoas de morarem nessa cidade, graças à atual administração! Vocês são uma piada!”, escreveu outra moradora.

“Pra chegar nesses pontos tem que ser atleta, atravessar crateras, matas e enfrentar animais silvestres (capivara e sucuri) no escuro. Dourados tem uma peculiaridade que essa administração deixou. Buracos e mato, além do esquecimento na saúde, educação, lazer e iluminação pública”, criticou outra douradense.

O município de Dourados vai gastar R$ 71.758,20 para colocar os quatro letreiros. A empresa Seridoor Publicidade e Comunicação Visual foi contratada através de pregão presencial homologado em agosto deste ano. Cada letreiro custou em torno de R$ 18 mil.

As oito letras da palavra “Dourados” têm 90 centímetros de altura e 20 centímetros de espessura, enquanto o coração vermelho tem um metro de altura e 25 centímetros de espessura.

Mato cobre área pública no Jardim Rigotti; ao fundo, outdoor da prefeita desejando “feliz Natal e Ano Novo de saúde e paz” (Foto: Direto das Ruas)
Mato cobre área pública no Jardim Rigotti; ao fundo, outdoor da prefeita desejando “feliz Natal e Ano Novo de saúde e paz” (Foto: Direto das Ruas)

Matagal – O mato toma conta do perímetro urbano de Dourados. Basta circular pelos bairros e pelo Centro para perceber o capim crescendo até nos canteiros de ruas centrais.

Em uma área pública nos fundos da Feira Livre, no Jardim Rigotti, região sul da cidade, o matagal quase cobre um outdoor com foto da prefeita Délia Razuk desejando “Feliz Natal e Ano Novo de saúde e paz”.  A mensagem é assinada por “Délia Razuk e família”.

Com pelo menos 225 mil habitantes, Dourados está no meio do mato desde setembro devido à disputa jurídica entre a prefeitura e a empresa Litucera Limpeza e Engenharia, de Vinhedo (SP).

Contratada pelo município em 2014, a empresa embolsou R$ 100 milhões durante seis anos para fazer serviços de limpeza e conservação de vias públicas, incluindo varrição, conservação de áreas verdes, roçada, pintura de meio fio e recolhimento de animais mortos.

Entretanto, neste ano a prefeitura decidiu fazer nova licitação, no valor de R$ 23,9 milhões. A abertura das propostas foi marcada para o dia 15 de setembro, mas a Litucera entrou com recurso administrativo apontando irregularidade no edital.

Como o pedido foi negado pela prefeitura, a empresa recorreu ao TCE (Tribunal de Contas do Estado) alegando que o município cometeu irregularidade no edital.

No dia 14 de setembro, o conselheiro Jerson Domingos acatou os argumentos e suspendeu a licitação. Uma semana depois, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos enviou ofício à Litucera informando sobre o encerramento do contrato a partir do dia 23 daquele mês.

Desde então, o mato cresce nos quatro cantos da cidade. As poucas equipes próprias da prefeitura não dão conta de fazer o serviço. Por parte da população fica a esperança que a cidade saia do mato e dos buracos na gestão do novo prefeito, Alan Guedes (PP), que assume no dia 1º de janeiro.

Moradora passa nesta quinta por trecho de pista de caminhada tomada pelo mato em volta da Feira Livre (Foto: Direto das Ruas)
Moradora passa nesta quinta por trecho de pista de caminhada tomada pelo mato em volta da Feira Livre (Foto: Direto das Ruas)


Nos siga no Google Notícias