ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 11º

Interior

Com fim de operação, PMA apreendeu 423 kg de pescado e multou 75 pescadores

Ação visava preservar e repreender a pesca predatória no Estado

Natália Olliver | 30/09/2022 18:23
Policial Militar Ambiental apreendendo rede usada para pesca ilegal (Foto: PMA)
Policial Militar Ambiental apreendendo rede usada para pesca ilegal (Foto: PMA)

Após três meses, a PMA (Polícia Militar Ambiental) finalizou nesta sexta-feira (30) a “Operação Pesca Legal”. Ao todo, foram apreendidos 423,4 kg de pescado,  211 redes de pesca, além de 14 barcos e 13 motores. Desde o começo das ações 75 pescadores foram multados, a quantia das penas somaram R$ 95,6 mil, destes, 41 foram autuados por pesca proibida. A operação visava preservar e repreender a pesca predatória no Estado.

Conforme o departamento da polícia, a operação foi dividida em seis Companhias do Batalhão, com 27 subunidades. Os grupos desenvolviam as ações duas vezes ao mês, em 72 horas.

Uma ferramenta importante na fiscalização durante a ação foram os drones. A PMA ressaltou que com o uso dos aparelhos, os infratores têm ficado com receio de serem identificados pelas imagens e os drones permitem que os Policiais possam fiscalizar grandes áreas de rios. “Inclusive, acampamentos de pescadores, ou outros crimes no entorno dos rios, sem serem percebidos, o que dificulta ainda os avisos via celular aos infratores”, contou.

Números - Dos 75 pescadores autuados, seis utilizavam iscas silvestres vivas da especie minhocoçus, o que também configura em crime ambiental, 240 iscas foram contabilizadas pela PMA.

Por pesca predatória, sem licença obrigatória, foram multados 20 dos pescadores. Conforme a PMA, a ação não é crime, mas se encaixa na categoria infração administrativa, com previsão de multa e apreensão de todos os produtos, barcos, motores, petrechos e veículos utilizados na pesca ilegal.

Além das iscas, os pescadores usavam petrechos com grande poder de depredação de cardumes, como redes de pesca, anzóis de galho e espinheis.

“A fiscalização nos rios serve para evitar que pescadores pratiquem pesca ilegalmente, pela presença das equipes e que armem os petrechos ilegais, ou pelo menos, fazer a retirada desse material sem que tenham prejudicado os cardumes”, disse a PMA.

Com relação aos petrechos ilegais de pesca foram apreendidas 211 redes de pesca, 674 anzóis de galho, 10 tarrafas, 23 boias (joão-bobo) e 18 cordas de espinhel, cada um com média de 20 anzóis, o que perfaz 360 anzóis.

A Polícia informou que além das multas, foram apreendidos 14 barcos, 13 motores de popa e 45 carretilhas e molinetes com varas.

Nos siga no Google Notícias