A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 13 de Outubro de 2019

13/12/2018 21:48

Com risco de desabamento, perícia em loja destruída pelo fogo é adiada

Adriano Fernandes
Bombeiro em meio aos escombros do incêndio. (Foto: Diário Corumbaense) Bombeiro em meio aos escombros do incêndio. (Foto: Diário Corumbaense)

Previsto para começar nesta quinta-feira (13) o trabalho pericial na loja Tentação, que foi consumida pelo fogo em Corumbá – cidade a 419 quilômetros de Campo Grande-, foi mais uma vez adiado.

Esta manhã o delegado responsável pelo caso, Luca Venditto Basso, peritos, o diretor-executivo da Defesa Civil, Isaque do Nascimento e bombeiros, fizeram nova vistoria e, por falta de segurança, o trabalho ainda não tem condições de iniciar.

"Nós precisamos chegar até a origem do fogo, que teria sido no piso superior do prédio, onde ficava o depósito. Mas ali, parte do teto caiu e a estrutura está comprometida. Então, não há segurança para que os peritos realizem o levantamento sem correr riscos", explicou o delegado Luca Venditto ao Diário Corumbaense.

Na tarde de quarta-feira (12), dois delegados e dois peritos também estiveram no local, mas como ainda havia muita fumaça nos escombros, decidiram não iniciar o trabalho. A Polícia Civil ainda não instaurou inquérito sobre o incêndio, está realizando investigações preliminares, como depoimentos do proprietário da loja e de funcionários. 

"Somente a partir do laudo pericial, nós vamos poder chegar à causa do incêndio. É um trabalho que tem que ser feito com bastante atenção e vai exigir um esforço maior para a realização do levantamento", completou o delegado sem estimar prazos.

Mas ele também aguarda os primeiros relatórios da Defesa Civil, Perícia Técnica e da Defesa Civil.

O incêndio - Além da perda total da loja, o incêndio causou danos à estrutura de dois imóveisque ficam ao lado das instalações. Um deles foi interditado pela Defesa Civil e as três moradoras estão sendo acolhidas por uma vizinha até que a situação seja resolvida.

Outro imóvel, que está desocupado, mas o dono vinha fazendo reforma, foi vistoriado nesta quarta-feira e também teve avarias significativas. O proprietário foi orientado a parar com a obra e não permitir a circulação de pessoas na casa.

Os 16 funcionários e clientes que estavam na loja conseguiram sair e ninguém se feriu. Bombeiros, com o apoio de outras instituições e empresas, trabalharam durante 26 horas para acabar com as chamas, que iniciaram pouco depois das 14h40 de segunda-feira (10), e utilizaram mais de 500 mil litros de água na operação.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions