ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 32º

Interior

Com segurança reforçada, traficante e líder do PCC é extraditado para o Brasil

Por Priscilla Peres | 20/01/2017 12:02
Capilo, como é conhecido, foi extraditado para o Brasil. (Foto: ABC Color)
Capilo, como é conhecido, foi extraditado para o Brasil. (Foto: ABC Color)

Carlos Antonio Caballero, narcotraficante e líder do PCC (Primeiro Comando da Capital) foi extraditado do Paraguai para o Brasil nesta manhã. Ele decolou em um voo que saiu às 9h, do aeroporto internacional Silvio Petturossi, em Luque, no Paraguai.

Capilo, como é conhecido, foi transportado até o aeroporto com um forte esquema de segurança, que incluiu caminhonetes da polícia e vários agentes e atiradores posicionados em pontos estratégicos, segundo o jornal ABC Color.

O transporte durou cerca de uma hora e Caballero chegou ao aeroporto por volta das 8h. O chefe da Interpol e seus agentes encaminharam o traficante até dentro do avião.

Para a extradição, o juiz criminal Hugo Sosa Pasmor Garantias acatou pedido feito pela Justiça brasileira, já que ele tem condenação no Brasil para ser cumprida. Aqui, ele vai responder por tráfico internacional de drogas, inclusive cocaína, e posse de explosivos ilegais, armas de fogo e munições de uso restrito.

Capilo foi preso junto com o narcotraficante Jarvis Chimenes Pavão em dezembro de 2009, em Concepcion. Ele foi condenado a 7 anos por lavagem de dinheiro, violação da lei de armas e associação criminosa. Jarvis foi condenado a 8 anos.

Sua extradição para o Brasil, que começou em 2011, estava sujeita a conclusão dos processos que ele respondia no Paraguai. Contra Capilo ainda pesa o tráfico de 430 quilos de drogas, além de armas e munições.

Mesmo preso no Paraguai, Capilo continuou sendo um "jogador-chave" do PCC e segundo o jornal, se gabava de ter influências políticas para evitar que paraguaios fossem extraditados para o Brasil.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário