ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  03    CAMPO GRANDE 26º

Interior

"Comecei a apanhar na rua", diz mulher que matou marido a facada

A mulher foi presa em flagrante, mas em audiência de custódia teve a prisão substituída por medidas cautelares

Por Viviane Oliveira | 17/02/2021 12:02
Caso segue sob investigação da Delegacia de Polícia Civil da cidade (Foto: arquivo / Diário Corumbaense) 
Caso segue sob investigação da Delegacia de Polícia Civil da cidade (Foto: arquivo / Diário Corumbaense)

Em depoimento à polícia, a boliviana de 49 anos, suspeita de matar o marido, Javier Arce Ricaldes, 52 anos, com uma facada no tórax, na última segunda-feira (15), disse que a briga entre o casal começou na casa de amigos. Ao ir embora, durante o trajeto, foi agredida pelo esposo, e quando chegou em casa, as agressões continuaram.

No local, chegou a dizer aos policiais que havia matado para se defender, mas na delegacia mudou o depoimento alegando acidente. O caso aconteceu na Rua Theodomiro Serra, no Bairro Popular Velha, em Corumbá, distante 419 quilômetros de Campo Grande.

Como houve divergência no depoimento, ela foi presa em flagrante por homicídio, mas em audiência de custódia teve a prisão substituída por medida cautelar. Ao conceder a liberdade, a juíza de plantão Luíza Vieira de Sá determinou uma série de regras a ser cumpridas pela mulher, como não sair de casa no período noturno, muito menos ausentar-se da cidade enquanto responder ao processo.

A magistrada levou em consideração ainda o fato de a mulher não ter antecedentes criminais. “Além disso, há indícios de que a flagrada cometera o crime em legítima defesa”, despachou.

Sem falar português, a boliviana foi ouvida com ajuda de um intérprete. Ela relatou, segundo o auto de prisão em flagrante, que é da cidade de Cochabamba, mas desde de janeiro se mudou com o marido, também estrangeiro, para Corumbá, onde sua irmã já morava. No dia do crime, contou, estava na casa de amigos com Javier bebendo até que os dois se desentenderam. Ao perceber que o esposo já estava embriagado, ela decidiu ir embora. Porém, ele foi atrás e passou a agredi-la ainda na rua. Em casa, as agressões continuaram.

O marido então pegou uma faca e disse que iria matá-la. Javier investiu contra ela e os dois passaram a se agredir. Foi neste momento, conforme a boliviana, que eles caíram e saíram rolando nos degraus da residência (que leva para a parte externa do imóvel). Ao despencar escada abaixo, ela percebeu que a faca havia ficado cravada no peito do marido. Em nenhum momento, relatou, tirou a faca da mão dele e desferiu o golpe.

Depois do ocorrido ficou nervosa e tirou a faca do corpo do esposo e a jogou longe. Desesperada, limpou o ferimento com folhas de boldo para aliviar a dor de Javier e, na sequência, jogou bebida para limpar o ferimento. Ele morreu antes do socorro chegar. A mulher foi presa no local. O caso segue sob investigação da Primeira Delegacia de Polícia Civil do município.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário