ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, DOMINGO  23    CAMPO GRANDE 26º

Interior

Contrato de gaveta revelou lavagem de dinheiro na compra de fazenda

Oficialmente, fazenda foi trocada por dois terrenos avaliados em R$ 1,1 mi; diferença foi paga em espécie

Por Helio de Freitas, de Dourados | 18/04/2024 11:27

Acusado de tráfico internacional de cocaína e preso no dia 8 de dezembro do ano passado no âmbito da Operação Sanctus, o empresário douradense Hermógenes Aparecido Mendes Filho, 49, usou dinheiro vivo para comprar uma fazenda avaliada em R$ 8 milhões, localizada no município de Paratininga (MT).

Aparecido ostentava suas propriedades, veículos e joias em postagens na rede social Tik Tok, como o vídeo em que aparece acompanhando, a cavalo, a boiada de uma de suas fazendas em Mato Grosso (veja as imagens acima).

Oficialmente, segundo escritura registrada no Cartório de Paz e Notas do distrito de Primavera (MT), em 3 de janeiro de 2022, a Fazenda São Pedro, de 2.100 hectares, foi trocada por dois terrenos localizados no Bairro Parque Nova Dourados, um avaliado em R$ 400 mil e outro em R$ 700 mil.

Entretanto, “contrato de gaveta” apreendido durante as buscas no dia em que Aparecido foi preso, revelou que a propriedade foi adquirida por sete vezes o valor registrado em cartório. A diferença, de R$ 6 milhões, estava sendo paga em parcelas, em espécie. Na prática, a negociação ocorreu em 2020.

As informações fazem parte da denúncia que o MPF (Ministério Público Federal) apresentou contra Hermógenes e outras oito pessoas, em março deste ano, por organização criminosa e lavagem de dinheiro.

No início de abril, o juiz Luiz Augusto Iamassaki Fiorentini, da 3ª Vara Federal em Campo Grande, aceitou a denúncia e transformou oito investigados em réus, entre eles Aparecido Mendes e o irmão dele, Ronaldo Mendes Nunes, 40, que segue foragido. Aparecido está recolhido no sistema penitenciário estadual desde dezembro.

Trecho do contrato de gaveta sobre compra de fazenda em MT (Foto: Reprodução)
Trecho do contrato de gaveta sobre compra de fazenda em MT (Foto: Reprodução)

Contrato de gaveta – Conforme a denúncia do MPF, o contrato de gaveta da compra da Fazenda São Pedro foi encontrado por policiais federais, no dia 8 de dezembro, em imóvel localizado na Rua 20 de Dezembro, no Jardim Água Boa, região sul de Dourados.

Nesse endereço funciona a sede de uma transportadora, registrada em nome de Aparecido Mendes. O prédio também é a residência de Markus Verissimo de Souza, 25, um dos réus no processo.

Markus é genro de Aparecido Mendes e, segundo a investigação da PF, ajudava o sogro no esquema de lavagem de dinheiro do tráfico de drogas, atuando como “contador extra-oficial” do empresário. Ele responde ao processo em liberdade.

Parcelas – A cláusula terceira do contrato de gaveta cita que o montante acordado para a transação da fazenda foi de R$ 8 milhões. Desse total, R$ 2 milhões seriam pagos em transferências bancárias em 2020, R$ 1,8 milhão em transferências de dois imóveis localizados em Dourados, R$ 800 mil em transferências de dois veículos de carga e o saldo remanescente, de R$ 3,4 milhões, seria quitado em três parcelas anuais de R$ 1.133.333,00, a serem pagas em espécie, em 2021, 2022 e 2023.

Dessas três parcelas, duas já tinham sigo pagas, no valor de R$ 2,2 milhões. A última estava vencida desde maio de 2023 e não tinha sido paga até 8 de dezembro, dia em que Aparecido Mendes foi preso.

Na denúncia, o MPF afirma que grande volume de dinheiro ilícito foi usado como pagamento da fazenda, de maneira completamente informal e oculta, pois os valores oficialmente registrados para o negócio não contemplavam essa transferência em espécie.

“Não fosse a localização do contrato durante as buscas feitas por ocasião da deflagração da operação, nem a Receita Federal, nem a Polícia Federal, nem o Coaf, nem outros entes públicos jamais saberiam da movimentação de mais de R$ 2 milhões”, afirma trecho da denúncia.

Segundo a investigação da PF, apenas por meio desse contrato, Hermógenes Aparecido Mendes Filho conseguiu tornar desnecessária qualquer explicação sobre dinheiro incompatível com suas atividades lícitas, assegurando branqueamento de R$ 6 milhões obtidos com o tráfico de drogas, uma vez, que posteriormente, a propriedade rural foi alienada por seu valor real – R$ 8 milhões.

O caso – Os irmãos Aparecido Mendes e Ronaldo Mendes Nunes são investigados por envolvimento com o tráfico de drogas há pelo menos uma década. Ronaldo chegou a cumprir pena pelo crime.

Supostamente ligados às facções criminosas PCC (Primeiro Comando da Capital) e Comando Vermelho, os irmãos prosperaram em Dourados, se tornando donos de empresas de transporte, restaurante de luxo, propriedades rurais, casas de alto padrão e até cobertura em condomínio no centro de Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

Entretanto, o esquema começou a desmoronar após seguidas apreensões de cargas de cocaína em pneus de caminhões que seguiam de Mato Grosso do Sul para São Paulo e Rio de Janeiro e, na volta, traziam dinheiro em espécie, também nos pneus.

A investigação da PF ligou os carregamentos aos irmãos Mendes. No dia 8 de dezembro, a Polícia Federal deflagrou a Operação Sanctus para prender Aparecido, Ronaldo e outros envolvidos no esquema.

Na mesma data, em um barracão em Maricá (RJ), a PF apreendeu caminhão que tinha saído do Paraguai com 160 quilos de cocaína nos pneus. Jair Marques Neto, 48, e Heitor de Oliveira Buss, 49, o “Techa”, funcionários de Aparecido, foram presos em flagrante. A droga seria escondida em colchões para ser exportada de navio para a Europa.

Aparecido Mendes foi preso em Dourados, mas Ronaldo Nunes Mendes conseguiu fugir. Ele estava em Pedro Juan Caballero e escapou do cerco da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas). Segundo informações extraoficiais, a agência paraguaia chegou a localizar Ronaldo, mas ele teria sido resgatado pelo deputado paraguaio Eulalio Gómez Batista, o “Lalo Gómez”. Ronaldo segue foragido até agora.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias