A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

25/04/2016 10:17

CPI vota hoje relatório que investigou irregularidade em construção de creche

Relatório foi protocolado hoje de manhã na Câmara de Vereadores; se documento for aprovado pela comissão, vai a plenário amanhã

Helio de Freitas, de Dourados

Foi protocolado na manhã de hoje (25) na Câmara de Vereadores de Itaporã, município a 226 km de Campo Grande, o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito instaurada no final de 2015 para investigar suspeita de desvio de recursos na construção de um centro de educação infantil para 200 alunos no bairro Santa Terra.

Durante três meses, a CPI da Creche apurou suspeita de irregularidades cometidas na administração do ex-prefeito Marcos Pacco (2009-2012) e o documento com o desfecho da investigação é o relatório finalizado no fim de semana pelo relator, vereador André de Moura Brandão (PHS).

Ao Campo Grande News, Brandão informou que a comissão faz sessão extraordinária às 16h de hoje para votar o relatório. Se o documento for aprovado pelos três integrantes da comissão, será votado em plenário, pelos 11 vereadores do município, em sessão prevista para amanhã às 8h.

Doze pessoas foram ouvidas durante as investigações, entre elas o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT), que conseguiu os recursos federais para a obra, o ex-prefeito Marcos Pacco (PSDB) e o dono da empreiteira responsável pela construção. A obra foi retomada em janeiro deste ano, mas ainda não foi concluída.

A escola começou a ser construída em 2010, mas foi deixada pela metade. Para fazer a obra, o município recebeu R$ 1,2 milhão do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). Segundo a CPI, além de fraude em informações repassadas ao FNDE sobre o andamento da obra para receber mais dinheiro, existem indícios de desvio de pelo menos meio milhão de reais.

Ouvido pela CPI no dia 16 de março, Marcos Pacco considerou “presente de grego” os recursos liberados pelo FNDE para construção da creche. Ele admitiu que a obra foi deixada pela metade – contrariando dado oficial encaminhado ao FNDE durante a gestão do próprio Marcos Pacco, informando que 93% da construção estava pronta.

Recentemente ele tentou mais uma vez barrar a investigação na Justiça. Através de um escritório de advocacia de Campo Grande, o ex-prefeito pediu que a juíza Daniela Vieira Tardin determinasse, até o julgamento final, a suspensão dos trabalhos da comissão ou o afastamento do presidente da CPI, Marcelo Rosales do Nascimento, e do relator André Brandão.

Pedido semelhante já tinha sido feito pelo ex-prefeito em janeiro deste ano, mas não foi acolhido pelo Judiciário. Pacco afirma que a CPI tem interesse político por ele ser inimigo político do relator.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions