A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 26 de Maio de 2017

06/04/2011 10:26

Defensoria pede interdição de cadeia pública de Costa Rica

Angela Kempfer

A defensora pública protocolou ontem ação onde pede a interdição da cadeia pública de Costa Rica, que deve ser julgada em regime de urgência.

Laudos da Vigilância Sanitária atestam péssimas condições para os presos que estão na unidade.

A defensora pública visitou as dependências da cadeia na segunda-feira e verificou que as celas de aproximadamente 20 metros quadrados tem 30 presos, quando o correto seria abrigar apenas 8.

Instalações hidráulicas também estão rompidas e com risco de incêndio, por conta das instalações elétricas precárias. Segundo a defensoria, até esgoto esta vazando no interior de uma das celas.

Um novo prédio com seis celas e capacidade para 36 presos está pronto, mas ainda não foi inaugurado. (Informações do Hora da Notícia)




Isso mesmo vamos aceitar quietos, que esses marginais saem nas ruas roubando, e matando e traficando. Enquanto nós cidadões comuns, pagamos impostos e não temos essa mordomia e dirieitos humanos que esses marginais têm. Quem sai em favor do povo para pedir mais saúde, segurança e respeito?
Os presos tem médicos e medicamentos a hr que quiserem, nós temos que ficar na fila pór dias e não tem remédios para nós.
Parabéns pela inversão de valores que temos nese Estado de homens sérios.
 
Kamél El Kadri em 06/04/2011 12:16:57
Parabéns para a Defensora Pública que entrou com a ação. Em primeiro lugar, a prisão é um lugar terrível, mesmo que se garantam o mínimo. Em segundo lugar, para a sociedade, o melhor é recuperar o preso, para que ele não saia pior do que entrou - como acontece hoje. E, para que o preso não volte a delinquir, ele precisa de condições mínimas - e é justamente para essa finalidade, protegendo a sociedade, que a ação foi ingressada.

Digo mais, a Defensoria Pública atua não só na área criminal, mas também nas demais áreas e, entre outras tarefas importantes, tem proposto muitas ações para as pessoas que não tem condições e estão doentes receberem tratamento médico, remédios de alto custo, internações, obrigando o Estado a cumprir com sua obrigação, que é de fornecer saúde para todos. Basta uma consulta ao site do TJMS para verificar essa verdade.
 
Antonio César Bauermeister de Araújo em 06/04/2011 07:27:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions