A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

21/03/2016 16:20

Despejo termina em confronto e Guarda usa balas de borracha

Pessoas que ocupavam terreno público em Dourados resistiram ao despejo e colocaram fogo no mato; barracos foram destruídos

Helio de Freitas, de Dourados
Policiais militares e guardas municipais acompanharam despejo, que teve confronto (Foto: Eliel Oliveira)Policiais militares e guardas municipais acompanharam despejo, que teve confronto (Foto: Eliel Oliveira)

Terminou em confronto o despejo de famílias de sem-teto que ocupavam desde ontem (20) um terreno público na região oeste de Dourados, a 233 km de Campo Grande. Pessoas que estavam na área não aceitavam deixar o local e colocaram fogo no mato, em frente ao residencial Moradas Dourados, próximo ao Clube Indaiá. Guardas municipais e policiais militares acompanharam a remoção das famílias.

Vários tiros com bala de borracha foram disparados na direção dos sem-teto, que responderam jogando pedras na máquina da prefeitura levada ao local para remover os barracos. Não há ainda informação sobre feridos.

O confronto começou depois que os sem-teto se negaram a sair pacificamente da área, que após a implantação do residencial particular foi entregue ao município, para construção futuramente de estrutura como praça ou escola.

Quando a máquina da prefeitura começou a avançar em direção aos barracos, os sem-teto resistiram e colocaram fogo na vegetação. As chamas se espalharam rapidamente e causaram uma nuvem de fumaça. Após os disparos, o grupo se dispersou e a máquina derrubou os barracos.

O comandante da Guarda Municipal de Dourados, João Vicente Chencarek, disse de manhã ao Campo Grande News que existia uma dúvida se o terreno ocupado era particular ou público e a confirmação só ocorreu hoje por parte da Secretaria de Planejamento do município.

“Se o terreno fosse particular a Guarda não poderia interferir, mas como é público, mandamos uma equipe ao local para conversar com as pessoas. Queremos convencê-las a deixar o local pacificamente. A prioridade é sempre o diálogo, mas caso se recusem a sair vamos fazer a reintegração de posse”, afirmou Chencarek.

Um dos invasores da área, identificado como Cesar, disse de manhã que ele já recebeu uma casa do programa de habitação do município, mas tinha montado barraco na área pública para “tentar segurar” um terreno para sua filha, que se casou recentemente.

Policiais e guardas tiveram de intervir para garantir desmanche de barracos (Foto: Direto das Ruas)Policiais e guardas tiveram de intervir para garantir desmanche de barracos (Foto: Direto das Ruas)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions