ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 

Interior

Dupla que foi "empacotada" tinha envolvimento com o tráfico de maconha

Felipe Ribas Ojeda, de 28 anos, e Marcelo Sanchelaridi Gonzalez, de 30, foram torturados até a morte

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 16/02/2021 20:32
Um dos rapazes encontrados mortos em meio a uma plantação de maconha. (Foto: Direto das Ruas) 
Um dos rapazes encontrados mortos em meio a uma plantação de maconha. (Foto: Direto das Ruas)

Encontrados mortos com os corpos "empacotados" na tarde de ontem (16), em Aral Moreira, os paraguaios Felipe Ribas Ojeda, de 28 anos, e Marcelo Sanchelaridi Gonzalez, de 30, tinham envolvimento com o tráfico de drogas na fronteira, conforme apurados pelo Campo Grande News.

Fotos adquiridas pela reportagem, mostram os suspeitos em uma lavoura da maconha e em um acampamento, comumente usado por traficantes que cuidam dos cultivos da droga na região fronteiriça.

Rapaz encontrado "empacotado" em foto feita em acampamento do tráfico. (Foto: Direto das Ruas) 
Rapaz encontrado "empacotado" em foto feita em acampamento do tráfico. (Foto: Direto das Ruas)

Felipe e Marcelo foram torturados antes de serem executados. Um deles tinha um saco plástico na cabeça.

Os corpos das vítimas foram enrolados com lona preta e cobertores, e em seguida amarrados “como se fosse um pacote” e "desovados" ao lado de uma plantação de soja, próximo da região conhecida como "3 Placas", em Aral Moreira.

Os corpos foram reconhecidos por familiares na capela mortuária de Ponta Porã, onde funciona provisoriamente o serviço de medicina legal da cidade devido à reforma do prédio do IML. Felipe e Marcos moravam em Capitán Bado, cidade vizinha de Coronel Sapucaia (MS).

A polícia paraguaia investiga as circunstâncias da dupla execução e ainda não tem suspeitos de envolvimento no crime.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário