ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Em cidade pacata, operação policial faz barulho no WhatsApp

Antes das 7h, os moradores começaram a publicar as primeiras notícias sobre a ocupação de policiais no prédio da Prefeitura

Por Maressa Mendonça e Aline dos Santos | 02/06/2020 13:12
Moradora aponta para mensagens trocadas em grupo do WhatsApp nas primeiras horas do dia (Foto: Marcos Maluf)
Moradora aponta para mensagens trocadas em grupo do WhatsApp nas primeiras horas do dia (Foto: Marcos Maluf)


Em Bandeirantes, município de 6 mil habitantes distante a 70 quilômetros de Campo Grande, o silêncio tão característico da cidade nesta terça-feira (2) foi quebrado pelo “barulho” das mensagens trocadas em grupos de WhatsApp e a movimentação de policiais na Prefeitura e sede da Secretaria de Obras durante a operação "Sucata Preciosa".

Antes das 7h começaram a chegar a primeiras mensagens em um grupo de WhatsApp com 256 participantes. Neste espaço virtual, os moradores costumam trocar informações sobre a cidade e hoje não foi diferente. “Bandeirantes acordou movimentada” e “Nunca vi tanto policial na minha vida” foram alguns dos textos compartilhados pelos integrantes.

Proprietária de um brechó na cidade Helen Oliveira,  de 55 anos, mora próximo ao prédio da Prefeitura. Eleitora confessa de Álvaro Urt, o chefe do Executivo municipal atualmente, ela disser ser novidade ver tantos policiais naquele espaço.

“Ele é uma pessoa maravilhosa. A cidade foi para frente com ele”, declarou se referindo ao prefeito  que não está entre os alvos da operação. As denúncias no entanto são de fraudes em contratos celebrados entre o município e empresas para manutenção da frota entre os anos de 2019 e 2020, já durante a gestão de Urt.

Outra moradora, Juliene Moraes reside há dois anos perto da Prefeitura  e disse ter visto policial logo cedo, por volta das 4h, quando acordou para ir trabalhar. “Nunca tinha presenciado tanto policial em Bandeirantes”, disse.

A pacata Bandeirantes fica a 70 quilômetros de distância da Capital de MS (Foto: Marcos Maluf)
A pacata Bandeirantes fica a 70 quilômetros de distância da Capital de MS (Foto: Marcos Maluf)


Os policiais fecharam o cerco ao redor do paço municipal e também do prédio da Secretaria de Obras. O número de agentes em ação não foi informado.

Conforme Juliene a cidade é sempre silenciosa e ficou ainda mais desde o início da pandemia do coronavírus.  Hoje, essa característica da cidade foi evidenciada também porque choveu.

Não há casos confirmados do covid-19 na cidade, mas tem decretos municipais  proibindo aglomerações e determinando o uso de máscaras.

Sucata Preciosa - Durante as ações serão cumpridos 25 mandados de busca e apreensão nas cidades de Bandeirantes, Campo Grande, Dourados e ainda Presidente Venceslau (SP). O objetivo é investigar crimes de peculato, fraude em licitação, falsidade e corrupção, em contratos celebrados pelo município com empresas para a manutenção da frota municipal.

A fraude, conforme a informação tornada pública, compreende as secretarias de Educação, Agricultura e Obras.

Policiais na entrada da Secretaria de Obras do município (Foto: Marcos Maluf)
Policiais na entrada da Secretaria de Obras do município (Foto: Marcos Maluf)