ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SÁBADO  23    CAMPO GRANDE 25º

Cidades

Alvo de investigação, prefeitura de Bandeirantes não terá expediente nesta terça

Na cidade, a administração municipal trabalha até as 11h. Como está fechada desde as 6h, não haverá tempo hábil

Por Marta Ferreira e Aline dos Santos | 02/06/2020 09:57
Viatura do Gaeco em frente à Prefeitura de Bandeirantes, que está fechada. Na porta, policiais do Batalhão de Choque da PM. (Foto: Marcos Maluf)
Viatura do Gaeco em frente à Prefeitura de Bandeirantes, que está fechada. Na porta, policiais do Batalhão de Choque da PM. (Foto: Marcos Maluf)

Fechada desde as 6h, quando começou a operação “Sucata Preciosa”, desenvolvida pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial e de Combate ao Crime Organizado), a prefeitura de Bandeirantes, a 70 quilômetros de Campo Grande, não vai abrir nesta terça-feira.

Alvo de investigação de irregularidades relacionadas à manutenção da frota do município, a prefeitura abre até as 11h, portanto, quando terminarem as ações, o expediente já terá passado.

Na cidade, de 6 mil habitantes, é evidente a forte presença dos agentes de segurança responsáveis pela operação. Na rua que concentra o “poder”, a Arthur Bernardes, a reportagem presenciou três equipes da força-tarefa.

Havia viaturas em frente à Secretaria Municipal de Educação,  no prédio da administração principal e ainda em local onde há placa informando tratar-se de empresa de informática.

Estão sendo cumpridos 25 mandados de busca e apreensão, em Bandeirantes, foco da operação, em Campo Grande, em Dourados e em Presidente Venceslau (SP).

Onde - A apuração do Campo Grande News indica que nas cidades além de Bandeirantes, as buscas são realizadas em fornecedores da prefeitura, além de imóveis privados. Nâo há detalhamento ainda de quem são os acusados de envolvimento nas irregularidades.

Estão sob apuração envolvidos em crimes de peculato, fraude em licitação, falsidade e corrupção.

As ações estão sob responsabilidade do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado), com apoio do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros), Batalhão de Choque da Polícia Militar e Bope (Batalhão Operações Especiais), também da PM.

A investigação é da Promotoria de Bandeirantes.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário