A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

23/02/2016 15:49

Em depoimento a CPI, ex-deputado aponta má gestão em obra de creche

Antonio Carlos Biffi foi ouvido ontem e após audiência duas arquitetas que acompanhavam obra entregaram atestado médico para não depor amanhã

Helio de Freitas, de Dourados
Momento em que Antonio Carlos Biffi era ouvido por integrantes da CPI da Creche (Foto: Itaporã Agora)Momento em que Antonio Carlos Biffi era ouvido por integrantes da CPI da Creche (Foto: Itaporã Agora)
Biffi apontou má gestão de recursos liberados pelo FNDE (Foto: Itaporã Agora)Biffi apontou má gestão de recursos liberados pelo FNDE (Foto: Itaporã Agora)

Em depoimento nesta segunda-feira (22) à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga a obra de uma creche no bairro Santa Terra, em Itaporã, a 227 km de Campo Grande, o ex-deputado federal Antonio Carlos Biffi (PT) atribuiu como resultado da má gestão da prefeitura o atraso na construção, iniciada em 2010 e até agora não concluída.

Falando à CPI da Creche na condição de convidado, o deputado disse ter obtido recursos do FNDE (FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) para construção, em outras cidades sul-mato-grossense, de 180 unidades semelhantes à de Itaporã e que pelo menos cem já foram entregues e a maioria das demais está em andamento.

O relator da CPI, vereador André de Moura Brandão (PHS), disse ao Campo Grande News que no depoimento o ex-deputado também considerou “estranha” a informação repassada pela prefeitura de que 93% da obra estaria pronta, quando na verdade a avaliação do FNDE apontou que apenas 47% foi executada até a paralisação.

“Ele disse que esse tipo de situação não é corriqueira em outros municípios, onde os recursos foram suficientes para concluir a maioria das obras. Nos demais onde faltou dinheiro, a prefeitura entrou com uma contrapartida de cem mil a duzentos mil reais. Mas em Itaporã ocorreu o contrário. Quase toda a verba foi usada e menos da metade da obra foi feita”, declarou o relator.

Segundo o relator, Biffi pediu “transparência” no trabalho da CPI, instaurada em novembro do ano passado, mas que só iniciou os depoimentos neste mês.

Em janeiro, o ex-prefeito entrou com mandado de segurança contra a Câmara, para suspender a investigação. Sua defesa pediu também o afastamento de André Brandão da relatoria, “por ser declaradamente um inimigo meu”, segundo Marcos Pacco. A Justiça ainda não se manifestou.

Defesa – Marcos Pacco disse ao Campo Grande News no dia 5 deste mês que a CPI tem interesses políticos, por ele aparecer como líder das pesquisas de intenção de voto para prefeito do município de 20 mil habitantes.

Segundo ele, a obra não foi concluída por atraso na liberação dos recursos e citou exemplos de construção de creches em outras cidades, que também está atrasada.

Maquiagem – André Brandão disse que a obra da creche passou por uma “maquiagem”, com pintura de algumas paredes, mesmo com outras ainda sendo levantadas, na tentativa de ludibriar o FNDE e conseguir a liberação do restante dos recursos. O município recebeu R$ 1,2 milhão do governo federal para a obra e o ex-prefeito teria deixado R$ 160 mil desse total em caixa.

“Outra situação que levanta indícios é a informação repassada em 2010 pela administração do ex-prefeito Marcos Pacco de que a empresa tinha abandonado a Obra. Só que nos anos seguintes – 2011 e 2012 – a prefeitura fez pagamentos que somaram R$ 510 mil para essa mesma empresa. O rombo é de pelo menos R$ 800 mil, isso sem a correção monetária, que foram licitados mais R$ 520 mil para a obra ser concluída”, afirmou o relator.

No fim do ano passado a construção da creche, projetada para atender 200 crianças, foi retomada, após a prefeitura fazer uma reprogramação de prazos com o FNDE.

Atestado médico – Após o depoimento de Biffi, as duas arquitetas da prefeitura que na administração de Marcos Pacco eram responsáveis pela fiscalização da obra e fornecimento de informações ao FNDE, entregaram atestado médico na Câmara alegando problema de saúde para não serem ouvidas nesta quarta-feira.

O ex-secretário de Obras Eri Martineli e a atual secretária de Educação Cecília Lopes Eberhardt estão convocados para depoimento amanhã à CPI. Segundo o relator, uma nova data será definida para o depoimento das arquitetas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions