ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  13    CAMPO GRANDE 30º

Interior

Empresa vai investir R$ 350 milhões na produção de biocombustível no Estado

Produção do insumo será feita a partir de resíduos da cana-de-açúcar; unidade ficará em Nova Alvorada do Sul

Por Natália Olliver e Jhefferson Gamarra, de Nova Alvorada do Sul | 10/04/2024 13:43
Empresa fará construção da 1ª unidade de biometano a partir de resíduos da cana-de-açúcar (Foto: Henrique Kawaminami)
Empresa fará construção da 1ª unidade de biometano a partir de resíduos da cana-de-açúcar (Foto: Henrique Kawaminami)

A empresa privada Atvos vai investir R$ 350 milhões na produção de biocombustível em Mato Grosso do Sul. A companhia anunciou nesta quarta-feira (10), durante a abertura da 2° edição da Expocanas em Nova Alvorada do Sul, a construção de sua primeira unidade de biometano a partir de resíduos da cana-de-açúcar. A unidade ficará localizada em Nova Alvorada do Sul, onde a companhia já possui uma planta, há 15 anos, responsável pela produção de etanol.

A nova operação, que utilizará como insumos a vinhaça e a torta de filtro, resíduos resultantes da cadeia produtiva da cana, ocupará uma área de 150 mil metros quadrados e terá capacidade instalada de 28 milhões de metros cúbicos de biometano. Conforme o CEO da empresa, Bruno Serapião, a escolha do local se deu pela produtividade que a cidade oferece.

“Esse é o nosso primeiro investimento em biogás e a gente escolheu a de Nova Alvorada que é a nossa maior usina, e a usina que desempenha melhor. A gente se sentiu muito confortável pra fazer um investimento, que vai durar 15 anos, numa cidade que sempre trata a Atvos muito bem."

Segundo ele, a companhia investiu em melhorias na planta de cana em 2023. Ele explica que os resíduos também serão transformados em fertilizantes. “Então isso melhora duas coisas, melhora a utilização de carbono, a gente vai ter mais carbono e a gente vai trocar esse biogás no diesel que tem nos caminhões, que permite que a gente emita 40% a menos na nossa operação. E aliado a isso, a gente vai distribuir esse biogás no mercado em volta.”

A expectativa é que o projeto entre agora em fase de análises de engenharia para aprovação final e que as obras sejam iniciadas ainda neste ano de 2024. "A gente tem de seis a oito meses de engenharia. E a engenharia fechada, a gente tem 18 meses para a implantação, então a nossa visão é que no final de 2025, mês de 2026, a gente já tenha a planta comissionada e emitindo biogás. Mas começa esse ano ainda".

Governador, prefeito de Nova Alvorada do Sul, Jaime Verruck e o Ceo da Atvos (Foto: Henrique Kawaminami))
Governador, prefeito de Nova Alvorada do Sul, Jaime Verruck e o Ceo da Atvos (Foto: Henrique Kawaminami))

O governador Eduardo Riedel acrescentou que o investimento é fundamental para dar sequência às estratégias traçadas para melhoria do Estado.

“Vem a consolidar uma linha que nós temos de investigação nessa transição de energia limpa. O setor sucroenergético é fundamental para isso. E assim a gente vai avançando na estratégia de tornar Mato Grosso do Sul carbono neutro em 2030. E o principal de tudo, novos investimentos, renda, geração de emprego para a nossa gente.”

José Paulo Paleari (PSDB), prefeito de Nova Alvorada do Sul, pontuou que o Estado tem 116 mil hectares de cana de açúcar plantada e que a cidade se torna um dos maiores municípios do país com área de cana plantada.

“É um motivo de muita alegria, porque isso vai gerar emprego, isso vai contribuir com o combustível limpo. Fora a economia, porque hoje mais de 30% a 40% do custo de produção do agro, ele vem do combustível. E o biometano é um combustível muito mais econômico. Então vai se economizar muito colocando o Estado de Mato Grosso do Sul na vanguarda desse setor importante."

CEO da Atvos, Bruno Serapião, durante Expocanas (Foto:Henrique Kawaminami)
CEO da Atvos, Bruno Serapião, durante Expocanas (Foto:Henrique Kawaminami)

Atualmente, a operação da Atvos em Nova Alvorada do Sul tem capacidade para moer 5,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar; produzir 498 milhões de litros de etanol, suficiente para movimentar 9 milhões de carros compactos, além de cogerar 376 GWh de energia elétrica limpa, capaz de abastecer uma população de 1,8 milhão de pessoas.

Ainda em Mato Grosso do Sul, a empresa também possui a Unidade Eldorado (UEL), situada em Rio Brilhante, que produz tanto etanol quanto açúcar VHP; e a Unidade Costa Rica (UCR), localizada no município homônimo, direcionada para a produção do biocombustível à base da cana-de-açúcar.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias