ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 13º

Interior

Enviados pelo PCC, fuzis de R$ 30 mil seriam entregues em SP

Fuzis 556 eram de "célula" da facção em Pedro Juan Caballero, no Paraguai

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 31/05/2021 22:55
Armamento apreendido com o suspeito. (Foto: Adilson Domingos) 
Armamento apreendido com o suspeito. (Foto: Adilson Domingos)

Os dois fuzis 556 apreendidos com um criminoso, nesta segunda-feira (31), em Ponta Porã pertenciam à facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Conforme apurado pela reportagem as armas de grosso calibre da marca Colt, avaliadas em R$ 30 mil, foram enviadas por uma "célula" da facção em Pedro Juan Caballero, no Paraguai com destino à São Paulo.

No entanto, o armamento acabou sendo apreendido logo após a prisão de Augusto Cubas, de 32 anos, nesta segunda-feira (31). O suspeito e um comparsa seguiam de moto pela linha internacional por volta das 12h30, quando foram surpreendidos por policiais da Defron (Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira).

Durante perseguição, Augusto pulou da moto e saiu correndo enquanto o outro suspeito fugiu. Ele estava carregando um dos fuzis em uma mochila e foi contido pelos agentes antes mesmo de chegar até o território paraguaio. Questionado sobre a arma, Cubas disse que receberia R$ 200,00 para transportá-lo do bairro Residencial 1, em Ponta Porã, até o distrito de Sanga Puitã. Contudo, ele foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.

A partir da prisão do suspeito, ainda nesta tarde os policiais foram até uma residência desocupada no Bairro Ypê ll apurar informação de que no local, cujo proprietário foi assassinado no ano passado, estaria ocorrendo a negociação de armas de fogo.

Ao chegarem no endereço, três outros suspeitos fugiram pelos fundos da residência, deixando para trás um outro fuzil novo, semelhante ao que havia sido apreendido com Augusto, envolto em um plástico. Também foram verificados indícios de que o imóvel estava sendo utilizado como entreposto para o armazenamento de drogas. O suspeito e as armas foram encaminhados para a sede da Defron, em Dourados.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário