ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 24º

Interior

Filho de trabalhador rural é o 10º de MS entre presos em Brasília

Rodrigo Ferro Pakuszewski é mais um do assentamento Nova Itamarati preso após invasões a Poderes

Helio de Freitas, de Dourados | 13/01/2023 10:07
Rodrigo Pakuszewski na “rua torta”, ponto turístico de Gramado, em fevereiro de 2022 (Foto: Reprodução)
Rodrigo Pakuszewski na “rua torta”, ponto turístico de Gramado, em fevereiro de 2022 (Foto: Reprodução)

Mais um sul-mato-grossense foi identificado entre os 1.167 presos após as invasões promovidas por bolsonaristas radicais às sedes dos Três Poderes, domingo (8), em Brasília.

Rodrigo Ferro Pakuszewski, 28, é do assentamento Nova Itamarati, no município de Ponta Porã. Ele é o segundo morador do distrito e o 10º de Mato Grosso do Sul identificado na lista. Todos foram levados para o Centro de Detenção Provisória 2, no Complexo da Papuda.

Sócio de uma empresa de energia solar e dono de produtora musical – ambas já desativadas – Rodrigo é filho de um dos assentados no Projeto de Assentamento Itamarati 2.

O Campo Grande News apurou com moradores do distrito que Rodrigo foi preso na segunda-feira (9), no acampamento em frente ao quartel-general do Exército em Brasília. Segundo a pessoa que conhece o rapaz, ele não teria participado das invasões de domingo. Ele teria chegado à capital federal em seu próprio veículo.

Moradores do distrito descreveram Rodrigo como “rapaz muito trabalhador”. Eles afirmam que, apesar das convicções políticas, Rodrigo “é do bem” e não participaria do quebra-quebra promovido na Praça dos Três Poderes.

Outro morador de Nova Itamarati que está preso na Papuda é Mário José Ott, 59. O povoado surgiu a partir do Assentamento Itamarati, onde pelo menos 2.800 famílias de trabalhadores rurais foram instaladas no final do segundo governo Fernando Henrique Cardoso (1999-2002).

O atual distrito de Nova Itamarati já recebeu duas visitas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em março de 2003 logo após a posse do petista para o primeiro mandato e em agosto de 2016, seis dias antes do impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT).

O ex-presidente Jair Bolsonaro também esteve no distrito de Nova Itamarati, em março do ano passado, para entrega de títulos definitivos dos lotes. Dono de lote no assentamento, o pai de Rodrigo fazia parte do grupo da Fetagri (Federação dos Trabalhadores na Agricultura).

Além de Mário José Ott e Rodrigo Ferro, os outros moradores de MS já identificados entre os presos são Djalma Salvino dos Reis (Itaporã), Diego Eduardo Assis Medina (Dourados), Fabio Jatchuk Bullmann (Campo Grande), Ivair Tiago de Almeida (Maracaju), José Paulo Afonso Barros (Ponta Porã), Cassius Alex Schons de Oliveira (Campo Grande), Eric Prates Kobayashi (Campo Grande) e Fabrício de Moura Gomes (Três Lagoas).

Nos siga no Google Notícias