ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, TERÇA  02    CAMPO GRANDE 30º

Interior

Foragido da justiça é preso no interior de MS suspeito de estupro e pedofilia

Por Fernanda Yafusso | 14/10/2016 17:04
Objetos contendo imagens de cunho erótico foram apreendidos pela polícia civil (Foto: Polícia Civil)
Objetos contendo imagens de cunho erótico foram apreendidos pela polícia civil (Foto: Polícia Civil)

Acusado de pedofilia e favorecimento à prostituição, homem de 31 anos foi preso na tarde desta sexta-feira (14) pela Polícia Civil em Três Lagoas, distante 338 km de Campo Grande. Policiais encontraram imagens de uma adolescente nua, em cenas de cunho erótico, nos aparelhos celulares do acusado.

De acordo com a polícia, o homem, identificado como Ricardo de Carvalho Ferreira, também é considerado foragido da Justiça nos estados de São Paulo e Bahia, acusado pelos crimes de homicídio no estado baiano e de tráfico de drogas na cidade paulista de Presidente Epitácio.

Em coletiva na tarde de hoje, o delegado responsável pelo caso, Thiago Passos, explicou que após um mês de investigações sobre o crime de estupro e favorecimento a prostituição, agentes da DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) de Três Lagoas prenderam em flagrante Ricardo Ferreira, por manter arquivos digitais com imagens de crianças e adolescentes em cenas de sexo explícito.

O caso - A operação, que foi deflagrada na madrugada de hoje, ocorreu após uma adolescente de 14 anos procurar a Polícia Civil no começo do mês e contar que conheceu um indivíduo em uma rede social.

Após trocarem telefone, ela acabou sendo induzida por ele para que mandasse fotos nuas e, ao receber as fotos o homem, que é cadeirante, ele ameaçou a adolescente para que fizesse sexo com ele, caso contrário divulgaria as imagens da adolescente em redes sociais.

Após a pressão, a adolescente acabou cedendo e manteve relações sexuais com o acusado por uma única vez. Porém, ainda segundo a polícia, ele passou a ameaçá-la para que ela mantivesse relações com terceiros, que seriam clientes dele.

Em um dos casos, o acusado chegou a enviar um mototaxista para buscar a adolescente e levá-la até um cliente interessado nas fotos. Fato que não foi concretizado, pois a polícia interceptou o motociclista antes da corrida.

O crime de manter arquivo com cenas de sexo explícito envolvendo crianças ou adolescentes é afiançável. Porém, o delegado responsável pelo caso deixou de arbitrar fiança, pois o preso já é investigado pela prática de crimes de estupro e por favorecimento a prostituição.

Nos próximos dias a justiça decidirá se Ricardo Ferreira deve permanecer em regime fechado ou será beneficiado com a, liberdade provisória. O acusado deve permanecer preso em razão do mandado de prisão preventiva expedido pela justiça paulista, e a pena pelos crimes atribuídos ao autor pode chegar a 14 anos.

Outro caso - Em julho deste ano, Ricardo Ferreira também foi acusado por um funcionário de uma empresa que comercializa equipamentos para pessoas com deficiência física, de se apropriar indevidamente de uma cadeira de rodas.

Segundo consta no boletim de ocorrência, o funcionário afirma que deixou a cadeira de rodas na casa do acusado para que ele fizesse um teste de adaptação durante 24 horas.

Porém, no dia seguinte o funcionário foi até a residência do acusado e o mesmo havia deixado o local sem divulgar qualquer endereço para recado, além disso, o celular do acusado estava desligado.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário