A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 23 de Março de 2017

24/11/2014 18:25

Fórum tem sala para depoimento de crianças vítimas de violência

Helio de Freitas, de Dourados
Sala especial para depoimento de crianças e adolescentes vítimas e testemunhas de crime já está funcionando no Fórum de Dourados (Foto: Eliel Oliveira)Sala especial para depoimento de crianças e adolescentes vítimas e testemunhas de crime já está funcionando no Fórum de Dourados (Foto: Eliel Oliveira)

Já está funcionando no Fórum de Dourados, a 233 km de Campo Grande, a sala especial para depoimento de crianças e adolescentes, vítimas ou testemunhas de violência. O espaço foi inaugurado na semana passada pelo Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul.

Conforme o TJ, durante a inauguração foi simulada uma audiência e os presentes puderam acompanhar em um telão como é o atendimento feito pelos profissionais especializados na técnica de extrair o depoimento de crianças e adolescentes vítimas da violência. Estavam presentes o desembargador Marco André Nogueira Hanson, representando o presidente do Tribunal de Justiça Paschoal Carmello Leandro, o juiz diretor do foro, Jonas Hass Silva Junior, magistrados, membros do Ministério Público, defensores públicos e advogados.

O juiz da Vara da Infância e Juventude, Zaloar Murat Martins de Souza, informou que em Dourados existem muitos casos em que a nova ferramenta é necessária, especialmente na reserva indígena, onde a violência contra crianças e adolescentes é grande. “Ouvir o indígena muitas vezes é problemático. Por questões culturais, é difícil extrair do índio e, no caso, de crianças, a verdade sobre o fato”.

Segundo ele, o juiz tem dificuldade em interrogar crianças vítimas em processos judiciais. “O magistrado não tem a formação adequada para trabalhar com crianças, como psicólogos e assistentes sociais. Certamente este novo serviço nos auxilia e muito, por ser feito por pessoas treinadas”.

Na sala, que recebeu decoração diferente das demais dependências do Fórum, o menor é entrevistado unicamente pelo técnico enquanto o juiz, promotor, advogado e demais partes do processo assistem à entrevista pela televisão, em outra sala.
Por meio de um ponto eletrônico, a entrevistadora recebe as perguntas feitas pelo magistrado e então questiona a criança para obter a informação desejada.

Pessoal treinado – Os profissionais que atuarão nas entrevistas foram capacitados pela Coordenadoria de Infância e Juventude para desenvolver uma abordagem diferenciada, evitando que as crianças revivam seus sofrimentos enquanto ouvidas. Conforme o TJ, a escuta especial usa princípios básicos da entrevista cognitiva, que trabalha o resgate da memória, propiciando prova de melhor qualidade.

Depoimentos especiais já são feitos pela Coordenadoria da Infância e Juventude do TJ/MS no Fórum de Campo Grande. O serviço atende a Recomendação nº 33 do Conselho Nacional de Justiça, que sugere a implantação de sistemas apropriados para depoimento de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de crimes.

Traficante invade terreno e abandona carro com 407 quilos de maconha
Traficante entrou no lote da Fetagri (Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Mato Grosso do Sul) e abandonou carro carregado com qua...
Vítima de latrocínio, sitiante é morto a golpes de facão e tem carro roubado
Euzébio Carneiro de Oliveira, 49, foi encontrado morto dentro de casa localizada no sítio onde morava, no assentamento Lagoa Grande. Ele foi morto co...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions