ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 32º

Interior

Geraldo aponta atraso em UTI e prefeitura diz que leitos vieram pela metade

Secretário afirmou que instalação se arrasta desde março; faltam monitores, segundo município

Por Helio de Freitas, de Dourados, e Guilherme Correia | 28/05/2021 14:47
Leitos de UTI ampliados no Hospital da Vida foram insuficientes para atender demanda (Foto: Divulgação)
Leitos de UTI ampliados no Hospital da Vida foram insuficientes para atender demanda (Foto: Divulgação)

Mais uma vez, em plena pandemia de covid-19, o secretário estadual de Saúde Geraldo Resende e a administração municipal de Dourados (cidade a 233 km de Campo Grande) divergem sobre o andamento da instalação de equipamentos essenciais para salvar vidas.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (28) na Capital, Geraldo Resende afirmou que vai encaminhar ofícios ao prefeito de Dourados Alan Guedes (PP), à UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), à Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) e até mesmo ao ministro da Educação Milton Ribeiro, para pedir agilidade na instalação de dez leitos de UTI e 20 leitos clínicos na cidade.

“Estamos discutindo isso desde 8 de março. Portanto, há 80 dias estamos discutindo a abertura desses leitos. Já mandamos equipamentos, tiveram equipamentos que voltaram por deliberação da Universidade, temos equipamentos para substituir aqueles que não quiseram. Assumimos tudo que era de responsabilidade do município de Dourados para a abertura de leitos, para não deixarmos de ter leitos de UTI e leitos clínicos para a gente de Dourados e região”, afirmou.

Geraldo disse que o Estado assumiu até mesmo o financiamento integral para funcionamento dos leitos no HU (Hospital Universitário) da UFGD, mas a estrutura ainda não funciona. Hoje, o prefeito Alan Guedes decretou lockdown no município de domingo (30) até o dia 12 de junho.

Sem monitores – Em nota enviada ao Campo Grande News pela assessoria de comunicação, a prefeitura informou que já acionou o Ministério Público para dar celeridade na abertura dos leitos no Hospital Universitário.

“Porém, a prefeitura considera importante destacar que os leitos não foram ativados até hoje justamente porque a Secretaria Estadual de Saúde não enviou todos os equipamentos necessários. Foram enviados respiradores, mas faltam os monitores. Ou seja, foram entregues simbolicamente e não de fato. Causa estranheza essa cobrança”, afirmou a assessoria de Alan Guedes.

Devolvidos - Em nota enviada pela assessoria de imprensa, Geraldo Resende informou que os equipamentos necessários para a montagem dos leitos foram entregues à UFGD no dia 17 de maio.

Segundo ele, os aparelhos foram doados ao Estado, parte pela empresa Suzano Celulose e outra parte pela JBS “e poderiam perfeitamente ser utilizados na montagem dos 10 leitos de UTI pactuados com a Prefeitura de Dourados e a direção da Universidade Federal da Grande Dourados”, disse o secretário.

No entanto, ainda segundo o secretário, a direção do HU/UFGD não aceitou receber os monitores multiparamétricos doados pela JBS, alegando preferência por equipamentos doados pela Suzano Celulose.

Na opinião do secretário, os equipamentos devolvidos poderiam ter sido perfeitamente utilizados na montagem dos leitos de UTI, “até mesmo para, se fosse o caso, serem substituídos posteriormente, tendo em vista a grande necessidade desses leitos, notadamente em Dourados, que assiste um recrudescimento da pandemia da covid-19”.

De acordo com a assessoria da UDGD, há algumas semanas a Secretaria Estadual de Saúde encaminhou os monitores errados, fora da especificação necessária para abertura de leitos de UTI. "A entrega dos equipamentos certos está prevista pra  amanhã (29). Vamos precisar de três dias entre higienização, instalação e calibração do equipamento, para a abertura dos leitos".

Bloco inaugurado em março no HU de Dourados vai receber novos leitos de UTI (Foto: Divulgação)
Bloco inaugurado em março no HU de Dourados vai receber novos leitos de UTI (Foto: Divulgação)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário