ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  16    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Homem paga fiança, mas vai preso pela 2ª vez em 2 dias com máquinas furtadas

Entre equipamentos estão aparelhos de GPS de máquinas agrícolas avaliados em R$ 30 mil; homem vai pagar R$ 15 mil de fiança

Por Helio de Freitas, de Dourados | 18/02/2020 15:42
Aparelhos de GPS furtados de fazenda em Maracaju, localizados hoje em aldeia de Dourados (Foto: Adilson Domingos)
Aparelhos de GPS furtados de fazenda em Maracaju, localizados hoje em aldeia de Dourados (Foto: Adilson Domingos)

Suspeito de comandar furtos de agrotóxicos, equipamentos agrícolas e caminhões em fazendas da região, Carlos Fischer, 41, voltou a ser preso nesta terça-feira (18) em Dourados, a 233 km de Campo Grande. É a segunda prisão em dois dias. 

Na casa dele na Aldeia Jaguapiru, equipes do SIG (Setor de Investigações Gerais) da Polícia Civil, com apoio da Força Nacional, encontraram na manhã de hoje vários produtos furtados, inclusive no crime ocorrido em janeiro em uma fazenda em Maracaju, quando equipamentos avaliados em R$ 200 mil foram levados por bandidos.

Chefe do SIG em Dourados, o delegado Rodolfo Daltro informou que entre os equipamentos furtados em Maracaju encontrados na casa estão GPS de máquina agrícola, avaliado em R$ 30 mil, ferramentas de precisão, lixadeiras, engraxadeiras e motor estacionário.

Dezenas de outros produtos furtados em outras propriedades rurais da região também foram encontrados na casa, além de agrotóxicos também roubados. Casado com mulher indígena, Carlos Fischer mora em uma casa de alto padrão ao lado da Escola Municipal Tengatuí Marangatú, a maior da reserva de Dourados.

No local ele mantém uma oficina mecânica e uma cascalheira, onde quatro caminhões com sinais identificadores adulterados foram apreendidos ontem na Operação Amigo do Campo.

Ele foi preso em flagrante ontem por crime ambiental após os policiais encontrarem agrotóxico armazenado de forma ilegal. Entretanto, à tarde ele pagou fiança de R$ 6 mil e foi solto.

Hoje, foi novamente preso em flagrante por receptação e a polícia vai arbitrar fiança de R$ 15 mil. Ele já comunicou que vai recolher o valor e logo em seguida deverá ser colocado em liberdade. Os policiais ainda fazem levantamento do material apreendido na casa.

Carroceria de caminhonete lotada com produtos apreendidos em casa na Aldeia Jaguapiru (Foto: Divulgação)
Carroceria de caminhonete lotada com produtos apreendidos em casa na Aldeia Jaguapiru (Foto: Divulgação)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário