ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 28º

Interior

Jovem foi executado por engano ao estacionar 1 minuto depois do verdadeiro alvo

O "alvo certo" percebeu emboscada e deixou o local; autor já foi condenado por outro crime

Por Dayene Paz | 21/06/2024 09:18
William, que foi morto por engano, em 2023, na cidade de Anastácio. (Foto: Divulgação)
William, que foi morto por engano, em 2023, na cidade de Anastácio. (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil esclareceu a execução de William Ferreira dos Santos, 27, ocorrida em março de 2023, na cidade de Anástácio, a 122 km de Campo Grande. William foi morto por engano ao parar a motocicleta que conduzia no mesmo local que o verdadeiro alvo estava um minuto e meio antes. O autor do crime é Júlio César Miranda dos Santos, 40, o mesmo responsável pelo feminicídio de Adriana Pereira, 36. Os crimes não têm ligação.

William Ferreira foi ferido por quatro tiros quando estava em uma motocicleta com a esposa na garupa, no dia 25 de março do ano passado. O casal retornava de uma confraternização na casa de familiares, em Aquidauana.

A investigação - Foi através do depoimento de uma testemunha que a polícia traçou uma linha de investigação: morte por engano. Imagens de câmera de segurança mostram que um minuto e meio antes do crime, um casal havia parado a moto nas proximidades do Parque dos Ipês, perto da rotatória, e a mulher estava grávida.

Levantamento identificou as grávidas residentes no Conjunto Habitacional Cristo Rei e o casal da moto foi localizado dias depois. A investigação confirmou que Júlio César Miranda tinha desavença com o rapaz que parou a motocicleta com a grávida.

A investigação também traçou o trajeto percorrido por William e sua esposa até o local do acontecimento. Câmeras de segurança mostraram um intervalo de um minuto e meio entre a parada da motocicleta do verdadeiro alvo e a passagem de William com sua esposa, no mesmo local dos disparos.

Depoimentos e a perícia balística confirmaram que os projéteis que mataram William e Adriana partiram da mesma arma, um revólver calibre 38, apreendido durante a investigação do feminicídio de Adriana.

A motivação do crime que resultou na morte de William está relacionada a um desentendimento entre Júlio César e o verdadeiro alvo, envolvendo um histórico amoroso com a mulher do alvo.

Dia do crime - No dia dos fatos, o verdadeiro alvo suspeitou de uma emboscada, interrompeu seu trajeto, momento em que William e sua esposa passaram pelo local e foram atacados pelo autor, que estava escondido no mato.

O autor, já preso pelo feminicídio de Adriana e condenado pelo feminicídio a 24 anos de prisão em novembro do ano passado, foi agora indiciado pela Polícia Civil por homicídio qualificado por traição e emboscada pela morte de William Ferreira dos Santos. (Com informações do site O Pantaneiro)

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias