ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SÁBADO  04    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Juiz manda soltar comerciante reincidente por violência doméstica

Jorge Razuk Neto foi preso no dia 17 deste mês quando tentava retirar a vítima de unidade de saúde

Por Helio de Freitas, de Dourados | 27/10/2021 18:59
Penitenciária onde Jorge Razuk Neto está preso há 9 dias, mas vai ser solto (Foto: Adilson Domingos)
Penitenciária onde Jorge Razuk Neto está preso há 9 dias, mas vai ser solto (Foto: Adilson Domingos)

O juiz da 4ª Vara Criminal Alessandro Leite Pereira concedeu liberdade provisória nesta quarta-feira (27) ao comerciante Jorge Razuk Neto, 44, preso por violência doméstica no dia 17 deste mês em Dourados, a 233 km de Campo Grande.

Herdeiro dos negócios do pai, o ex-deputado estadual Roberto Razuk, Jorge é filho mais velho da ex-prefeita Délia Godoy Razuk e irmão do atual deputado estadual Neno Razuk (PTB).

Ele foi preso por guardas municipais e policiais militares quando tentava, segundo boletim de ocorrência, impedir a atual companheira de ser atendida na UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

Levada ao local após passar mal por uso de drogas, a mulher de 30 anos de idade relatou primeiro ao médico e depois aos guardas que vinha sofrendo violência doméstica há algum tempo e era ameaçada quando falava em sair de casa. Ela pediu aos guardas para fotografarem os hematomas, para não ser desmentida depois.

No pedido de liberdade provisória, o advogado Rodrigo Elder Lopes Bueno alegou não haver elementos para a manutenção da prisão em flagrante, pois a vítima apresenta problemas psiquiátricos “de modo a vagar pelas ruas da cidade, tendo surtos psicóticos, onde se autolesiona e imputa a autoria das lesões ao acusado”.

A defesa também sustentou ilegalidade da prisão preventiva, pois o Ministério Público não ofereceu denúncia contra o comerciante no prazo estipulado, o que torna o encarceramento ilegal.

Alessandro Leite Pereira – que no dia 19 havia transformado o flagrante em preventiva e mandado transferir Jorge para a penitenciária – acatou o argumento de que a manutenção da prisão é desnecessária.

O magistrado impôs como medidas cautelares o comparecimento de Jorge Razuk Neto em juízo até o dia 10 de cada mês para justificar suas atividades, proibição de se aproximar da vítima à distância mínima de 200 metros e de manter qualquer forma de contato com ela. Em caso de descumprimento, avisou que será decretada a prisão preventiva do acusado.

Jorge Razuk Neto está recolhido na Penitenciária Estadual de Dourados, onde já esteve recolhido em 2018 e 2019, também por violência doméstica.

Em abril de 2019, o mesmo juiz que concedeu a liberdade hoje, substituiu a pena mínima de seis meses de detenção em regime aberto por medidas cautelares e determinou indenização de R$ 20 mil para a ex-mulher do comerciante.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário