ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Justiça suspende reajuste salarial de vereadores de Japorã

Denunciante estimou que reajuste custaria aos cofres públicos R$ 158 mil até o final da legislatura atual

Por Mylena Fraiha | 15/05/2024 16:26
Município de Japorã, localizado a 326 km da Capital, visto do alto (Foto: Divulgação)
Município de Japorã, localizado a 326 km da Capital, visto do alto (Foto: Divulgação)

A Justiça de MS determinou que o reajuste salarial concedido aos nove vereadores de Japorã deverá ser devolvido aos cofres públicos do município, localizado a 470 km de Campo Grande. A decisão veio após uma denúncia apontar irregularidades no reajuste geral anual aplicado aos subsídios dos parlamentares da Câmara Municipal.

Em 2023, a Câmara Municipal de Japorã aprovou a "Revisão Geral Anual" dos subsídios dos vereadores por meio da Lei Complementar n.º 061, de 15 de fevereiro de 2023. O reajuste, estabelecido em 15,93% com base no IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), foi pago retroativamente desde janeiro de 2023. Cada vereador passou a receber cerca de R$ 800 a mais, totalizando um salário de R$ 5.871,21 por parlamentar.

No entanto, um morador do município ajuizou uma ação popular contra o reajuste, na qual alegou que a Lei Complementar n.º 061 é inconstitucional. Após realizar cálculos para medir os impactos do reajuste, o denunciante argumentou que o aumento salarial causaria danos financeiros à população, com um impacto estimado de R$ 158 mil até o final da legislatura atual.

Ontem (14), o juiz Guilherme Henrique Berto de Almada, da 1ª Vara da Comarca de Mundo Novo, decidiu pela suspensão do reajuste. Embora tenha reconhecido que o reajuste considerou o IPCA e “não acarretou acréscimo astronômico”, o juiz destacou que o último reajuste havia sido aprovado para a legislatura encerrada em 2020, sem previsão de aumento para os próximos mandatos.

“O Município de Japorã não cometeu inconstitucionalidade escancarada, e sim pretendeu apenas reajustar o subsídio dos vereadores para corrigir os efeitos inflacionários”, afirmou o juiz. Ele também ressaltou que os valores pagos retroativamente não deverão ser devolvidos.

A Câmara Municipal de Japorã deverá suspender imediatamente o reajuste, sob pena de multa mensal de R$ 20 mil.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias