ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 20º

Interior

Liderança do PCC e responsável por "Tribunal do Crime" é preso em Corumbá

Operação prendeu quatro faccionados, sendo que líder também coordenava tribunal em outras cidades de MS

Silvia Frias | 08/03/2023 16:33
Operação Mestre dos Magos cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão. (Foto/Divulgação)
Operação Mestre dos Magos cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão. (Foto/Divulgação)

Operação da Polícia Civil prendeu quatro integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) que agiam na região de Corumbá, distante 428 quilômetros de Campo Grande. Entre os detidos, o “Geral da Disciplina”, cargo de liderança da facção na região, responsável pelos violentos julgamentos de conduta conhecidos como “Tribunal do Crime”.

A Operação Mestre dos Magos foi realizada pelo SIG (Setor de Investigação Geral) da Polícia Civil de Ladário, com o apoio das equipes do 1º DP de Corumbá, DAM (Delegacia de Atendimento a Mulher) e Polícia Penal. No total, a ação envolveu 16 policiais.

Os nomes dos presos não foram divulgados, apenas que são homens de 41, 29, 24 e 23 anos.

Entre os presos, está o líder do PCC na região, que tinha entre as funções organizar o “Tribunal do Crime”, realizando julgamento também em outras cidades de Mato Grosso do Sul. Também exercia papel no recrutamento de simpatizantes, participando de conferências com outros membros para alinhar diretrizes da facção e reunião por celular e por tratar sobre o comércio de drogas.

De acordo com a polícia, também foi preso o faccionado responsável por guardar as armas, o “Paiol do PCC”, além do planejamento e execução de crimes. Até agora, foram quatro prisões preventivas, tendo sido cumpridos cinco mandados de busca domiciliar.

Em nota, a Polícia Civil explicou que o nome da operação faz “alusão a um dos integrantes presos da organização criminosa, que considerava estar imune e fora do alcance do aparato policial”.

Nos siga no Google Notícias