A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

18/03/2016 14:08

Manifestantes encerram bloqueio na BR-262 e prometem voltar às 17h

Mariana Rodrigues
Manifestantes estavam vestindo preto e munidos com bandeiras e faixas.(Foto: Cláudio Pereira/JP News)Manifestantes estavam vestindo preto e munidos com bandeiras e faixas.(Foto: Cláudio Pereira/JP News)
Grupo deixou a BR-262 por volta das 12h20 e promete voltar no fim da tarde. (Foto: Cláudio Pereira/JPNews)Grupo deixou a BR-262 por volta das 12h20 e promete voltar no fim da tarde. (Foto: Cláudio Pereira/JPNews)

Manifestantes liberaram, por volta das 12h20 desta sexta-feira (18), o trecho da ponte próxima da Usina Jupiá na BR-262 em Três Lagoas - distante 338 km de Campo Grande, na divisa com São Paulo. Porém, o grupo promete retornar a interdição às 17h.

O grupo estava concentrado no posto São Luiz, na saída para São Paulo, e se deslocou em direção ao aterro da usina hidrelétrica de Jupiá onde permaneceram até o fim da manifestação.

De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o número de manifestantes permaneceu o mesmo de 1.500 pessoas desde o início do protesto, às 10h. Mas as imagens divulgadas mostram uma quantidade menos de pessoas e o congestionamento de veículos chegou a 5 km.

Os empresários estavam vestidos de preto, como forma de luto, levavam faixas, cartazes e gritavam a todo momento palavras de ordem como: "Fora Dilma", Fora PT", "Chega de Corrupção".

Segundo informações do site JP News, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas, Atílio D’ Agosto, disse que a manifestação teve como objetivo somar aos demais protestos que ocorrem no país contra o governo da presidente Dilma Rousseff, e nomeação do ex-presidente Lula como ministro- chefe da Casa Civil.

"É um absurdo nomear um ex-presidente que está envolvido em evidentes atos de corrupção. O povo tem que ir para as ruas, tem que manifestar, o país não pode mais continuar dessa forma. As empresas cumprem com suas obrigações, pagam os impostos, mantém as contas em dia com o governo, que não cumpre a sua parte. Esse é um momento histórico, que temos de apoiar e forçar sim o impeachment da presidente Dilma. Além disso, que todos os responsáveis pela corrupção paguem , pois a má administração do dinheiro público está acabando com o país", disse Atílio.

Para o empresário Welington Wagner afirmou que o comércio e as indústrias foram prejudicados com os recentes episódios que a política do Brasil vem passando. "Queremos uma mudança para melhor, pagamos tantos impostos e está difícil para todos os setores", disse.

Segundo dia - No início da tarde de ontem (17) em Bataguassu, distante 335 km de Campo Grande, cerca de 70 pessoas entre produtores rurais e caminhoneiros bloquearam a BR-267 e a ponte Hélio Serejo, na divisa entre Mato Grosso do Sul e São Paulo.

A manifestação teve atos do lado sul-mato-grossense, em Bataguassu e do lado paulista em Presidente Epitácio. Com a ação, os caminhões e carros ficaram parados em cima da ponte sobre o rio Paraná. A rodovia foi liberada no final da tarde.

A PRF informou que o bloqueio causou congestionamento de 5 km. (Foto: Cláudio Pereira/JPNews)A PRF informou que o bloqueio causou congestionamento de 5 km. (Foto: Cláudio Pereira/JPNews)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions