ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  25    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Militar que matou mulher atropelada fica calado durante interrogatório

Motorista estava bêbado quando atingiu duas pessoas que faziam caminhada em calçada

Por Ana Oshiro | 15/06/2021 11:11
Familiares próximo ao corpo de Cristiane (Foto: Leonardo Cabral/Diário Corumbaense)
Familiares próximo ao corpo de Cristiane (Foto: Leonardo Cabral/Diário Corumbaense)

Evanir Garcia de Paula, de 55 anos, militar da reserva da Marinha do Brasil, que atropelou e matou Cristiane do Carmo Alves Faria, de 39 anos, na noite desta segunda-feira (14), permaneceu calado durante o interrogatório policial. O acidente aconteceu na Avenida Rio Branco, em Corumbá, a 419 km de Campo Grande.

De acordo com o delegado Nicson Lenon Cruz Galisa, responsável pela investigação, Evanir continua preso e agora cabe à justiça decidir se ele vai responder pelo crime em liberdade ou não. "Ele foi preso em flagrante por homicídio culposo qualificado pela condução de veículo com capacidade psicomotora alterada em razão de influência de álcool e também por lesão corporal na direção de veículo automotor. Vamos comunicar ao juiz e encaminhar o inquérito ainda hoje, aí a justiça vai decidir a situação do preso”, explicou Nicson.

Cristiane tinha 39 anos (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Cristiane tinha 39 anos (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

A Marinha do Brasil, por meio do Com6ºDN (Comando do 6º Distrito Naval), disse, em nota, que tomou conhecimento do envolvimento de militar da reserva em acidente e informou que ele será transferido da Delegacia de Polícia Civil de Corumbá para o estabelecimento prisional do comando, onde ficará à disposição da Justiça. A nota ainda disse que "A Marinha do Brasil lamenta o ocorrido e se solidariza com os familiares e entes próximos da vítima".

Acidente - Cristiane morreu depois de ser atropelada pela caminhonete S10, de cor branca, que Evanir dirigia. Ele seguia de Ladário para Corumbá em alta velocidade. Um homem, de 38 anos, também foi atingido pela camionete e sofreu ferimentos.

Cristiane chegou a ser atendida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) pelo Corpo de Bombeiros, que tentaram, por cerca de uma hora, procedimento de reanimação, mas ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário